Reduzir latência desafia Angola Cables no mercado de soluções para gaming

Empresa aposta em soluções customizadas para o público de jogos eletrônicos, que combina alta demanda por tecnologia e exigência

Author Photo
1:00 pm - 09 de fevereiro de 2022
Ângelo Gama, CEO da Angola Cables (Imagem: Divulgação/Ângola Cables)

Um mercado global estimado em US$ 180,3 bilhões em 2021, segundo dados da Newzoo, jogos eletrônicos são uma indústria com alta demanda por tecnologia. Para partidas multijogador online ou em torneios competitivos, por exemplo, estruturas de baixa latência são essenciais.

De olho neste mercado potencial, a Angola Cables, multinacional do setor de TIC, tem reforçado sua estratégia com soluções Gaming. “O mercado de gaming é crescente e reconhecidamente bastante exigente. Além da estrutura de conectividade, se faz necessário ter um atendimento customizado, que entenda e priorize de maneira específica às suas necessidades.”, disse Ângelo Gama, CEO da Angola Cables, ao IT Forum.

A empresa apresentou no Brasil a IP Gamer, oferta de encaminhamento de tráfego dedicada, e a Go Gaming VPN, solução OTT de alta performance de uso simultâneo de múltiplas rotas IP. Ambas já estão disponíveis no País e em regiões como África, Europa e Estados Unidos. A empresa não abre números, mas demonstra interesse no mercado nacional.

“O mercado brasileiro é visto de forma muito positiva, tendo em conta os seus níveis de criação de conteúdo, população jovem e a maturação da indústria de Gaming”, afirmou Gama. “O número de jogadores digitais no Brasil é bastante elevado, assim como as equipes e campeonatos profissionais são reconhecidos e divulgados.”

Leia mais: 30% das organizações terão produtos e serviços para o metaverso até 2026

Segundo a Angola Cables, a solução IP Gamer permite ao operador de internet reduzir a latência entre 20% e 50% em roteamentos de IP. Isso é realizado selecionando automaticamente as melhores rotas entre usuários e provedores. Na prática, isso permite melhorar significativamente a experiência dos jogadores, otimizando as respostas dos comandos de jogo – seja para streaming, upload ou download de dados.

Já o Go Gaming VPN é uma solução OTT de alta performance de uso simultâneo de múltiplas rotas IP. O software roda como um aplicativo para PC Windows, que funciona como “GPS da internet”, combinando redundância de rotas IP e proteção contra ataques DDoS.

A empresa afirma que jogadores conseguem reduzir em até 70% a latência (ping) e até 99% a perda de pacotes com a solução. O Go Gaming VPN é suportado pela rede da Angola Cables, com mais de 500 servidores em 98 países e acesso a mais de 600 jogos.

Em ambos produtos, a empresa busca atacar um dos maiores vilões do público de jogos eletrônicos: a latência. Como explica Gama, a sensibilidade à baixa latência é fator crítico para consumidores deste tipo de conteúdo, o que motivou a empresa a buscar soluções customizadas.

Leia também: Metaverso e transformação digital serão foco de varejistas no mundo

“O público gamer procura por redes que lhes permita focar naquilo que eles sabem fazer melhor: mostrar as suas habilidades em um ambiente de jogo”, disse o CEO da companhia. “Estas redes precisam ser resilientes e globais, com critérios de prioridade de tráfego gamer e, acima de tudo, deixar o jogo ser decidido pelas habilidades dos jogadores e nunca pela latência – como se verifica em muitos operadores.

Para 2022, o executivo antecipa que a Angola Cables continuará seus investimentos em soluções customizadas para o cenário. Entre os planos da empresa estão tecnologias que suportem o avanço de tendências com alta demanda por dados e segurança. Entre elas estão a realidade virtual, realidade aumentada, blockchain aplicado a games e metaverso.

“Uma das principais variáveis dos adventos tecnológicos é a necessidade de armazenamento de grandes volumes de dados em data centers”, pontuou o CEO da Angola Cables. “O outro elemento tem a ver com a necessidade de transportar esses dados com segurança e alta velocidade – baixa latência –, características que a Angola Cables tem fortemente desenvolvidas nas suas operações seja em data centers com certificação internacionais como o Angonap, seja em tecnologia de ponta para facilitar o transporte de dados a nível nacional, internacional e/ou continental em sistemas como WACS, SACS, MONET e sistemas de parceiros. Outro ponto importante é a segurança, pois a Angola Cables tem solução de Anti-DDoS que faz com que a empresa tenha um ambiente preparado para atender essas evoluções.”

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.