Unicamp, Ericsson e Fapesp inauguram centro de P&D em serviços de conectividade

Sediado na Unicamp, centro busca alavancar a próxima geração de serviços de internet e aplicações, incluindo pesquisa em 5G e 6G

Author Photo
1:01 pm - 05 de dezembro de 2022
telecomunicações, telecom Imagem: Shutterstock

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Ericsson, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), inauguraram, nesta segunda-feira (05), o Centro de Pesquisa em Engenharia Smart Networks and Services 2030 (Smartness).

Sediado na Unicamp, o centro tem objetivo de desenvolver pesquisas de ponta em redes de computadores, em serviços de aplicações digitais focadas em áreas estratégicas e de potencial impacto científico e tecnológico que podem ser alcançados até 2030. Com a implantação do 5G em progresso e o desenvolvimento já ativo do 6G, os trabalhos de pesquisa do Smartness se dedicarão a projetar e operar infraestruturas de computação em nuvem e redes cognitivas orientadas por inteligência artificial para alavancar a próxima geração de serviços de internet e aplicações.

O centro Smartness será dirigido pelo Prof. Christian Rodolfo Esteve Rothenberg, docente da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC), e conta com Maria Valéria Marquezini, Master Researcher da Ericsson como vice-diretora. Além de pesquisadores da Unicamp, o hub terá a participação de nomes da Universidade de São Paulo (USP), da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), e de aproximadamente 50 pesquisadores associados de outras 15 instituições acadêmicas brasileiras.

A iniciativa é inédita na América Latina e tem a ambição de se tornar um polo de pesquisa de última geração para a região ao longo da próxima década. O investimento previsto na iniciativa é de R$ 1,4 milhão por ano, ao longo de dez anos, pela Fapesp e Ericsson, além do dobro do valor em contrapartidas econômicas da Unicamp, incluindo professores e pessoal envolvido na operação do centro.

Responsável por implementar a infraestrutura tecnológica que habilita os trabalhos do Smartness, a Ericsson integrará ainda a estrutura ao seu Centro de Inovação localizado em Indaiatuba, no interior de São Paulo. O espaço também deve operar como um braço de pesquisa global da Ericsson, dedicado ao compartilhamento e transferência de conhecimento técnico.

”O centro Smartness será único no Brasil em termos de excelência na área de telecomunicações e redes de computadores. Reunirá alguns dos mais experientes pesquisadores do País na construção de uma nova plataforma rede habilitada para capacitar casos de uso de 5G e também de 6G verdadeiramente revolucionários”, disse Mateus Santos, líder de Pesquisa da Ericsson no Brasil.

Formação de mão de obra

Além dos trabalhos de pesquisa, o Smartness tem como um de seus objetivos estratégicos o desenvolvimento de mais recursos humanos para permitir o avanço do segmento de telecomunicações e redes no país. “O déficit que temos é um fator limitante para o desenvolvimento de soluções que aproveitam as possibilidades das novas tecnologias”, pontuou Rothenberg, docente diretor do projeto.

Ainda que não haja metas específicas, o espaço espera treinar talentos capazes de “operar, otimizar e empreender a infraestrutura, as aplicações e os serviços da próxima geração de redes de telecomunicações”, com foco no desenvolvimento do 5G e 6G.

Segundo Rothenberg, os Centros de Excelência apoiados pela Fapesp tem ainda o ‘objetivo de impacto’ de influenciar o sistema educacional, influenciando a atualização de currículos de graduação e pós-graduação em engenharia da instituição, e na criação de talentos.

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.