Como o Apple Car pode se tornar o futuro do carro como serviço

É provável que uma assinatura seja um componente-chave da estratégia de entrada no mercado da Apple para o Apple Car

Author Photo
10:10 am - 11 de outubro de 2022
apple

Os serviços da Apple são uma vaca leiteira que alimenta o futuro da empresa. É óbvio que a Apple pretende desenvolver os serviços que já fornece e a empresa que nos deu o iPod entende claramente que os consumidores digitais de hoje exigem mais acesso do que propriedade. Eles estão todos no tango da assinatura em Cupertino.

Veículos de última geração por uma taxa mensal

É por isso que acho que as assinaturas serão um componente-chave da estratégia da empresa para o Apple Car. Seja qual for a especulação em torno desse projeto, sabemos que a Apple tem milhares de pessoas trabalhando nele – e duvido que estejam sendo pagas para perder tempo. Os resultados desse esforço podem não ser o que esperamos, mas definitivamente está acontecendo.

O que quero dizer com assinatura de carro?

Veja o Apple Music; os assinantes têm acesso a 100 milhões de faixas em seus dispositivos Apple, e a empresa que organizou a jornada da propriedade ao acesso em um iPod pode alcançar algo semelhante com carros.

Assinatura de carro é um pouco como leasing de carro e um pouco como compartilhamento de carro. Em troca de uma taxa mensal regular, você pode usar o carro de sua escolha.

O que é isso?

Ao contrário do leasing, você não está vinculado a um contrato (normalmente) de três anos e, ao contrário do aluguel ou compartilhamento de carros, você efetivamente possui o carro que dirige (dentro dos limites de milhagem definidos). No final da assinatura do carro, você o devolve e ele é reciclado ou renovado, e pega outro veículo – ou passa para o compartilhamento de carona se suas necessidades de mobilidade mudarem.

Os esquemas de assinatura de carro existentes, normalmente, oferecem benefícios adicionais aos assinantes, como manutenção, e você pode atualizar para um carro novo sempre que quiser. A Boston Consulting estima que as assinaturas de carros na Europa e nos EUA possam chegar a US$ 40 bilhões até 2030, representando até 15% das vendas de carros novos. E assim como a Kyte atualmente permite que você assine um Tesla por cerca de US $ 1.000 por mês, a Apple pode oferecer um Apple Car.

Pense no que acontece se apenas 1% de seus bilhões de clientes se inscreverem. Dez milhões de pessoas gastando $ 1.000 por mês é um grande negócio. Elas podem até se beneficiar com uma assinatura gratuita do Apple One em todos os veículos.

A Apple também lhe venderá um veículo, o que duvido que seja barato. E acho altamente provável que apoie esquemas de compartilhamento de carros – seja por meio de seu próprio serviço, um serviço existente ou em colaboração com pelo menos alguns dos muitos planos agora pertencentes a grandes fabricantes de automóveis.

Os fabricantes de automóveis existentes certamente estão explorando a assinatura de carros.

Fabricantes de automóveis veem a escrita na parede

A Volkswagen adquiriu recentemente a Europcar Rentals e pretende disponibilizar veículos autônomos por meio desse serviço após 2025. Christian Dahlheim, CEO da Volkswagen Financial Services, explicou: “Nossa expectativa é que, de longe, a maioria das pessoas ainda prefira a mobilidade individual até 2030, mas será mais sobre o uso e menos sobre a posse de veículos”.

Agora, não sabemos se a Apple trabalhará com fabricantes de automóveis e não sabemos se apresentará seu próprio veículo, embora todos pensemos que sim. Mesmo assim, para atender às necessidades de uma infraestrutura de mobilidade em transformação, faz sentido que, se você quiser ir de A a B, possa fazê-lo em um Apple Car. Você poderá possuí-lo, alugá-lo ou assiná-lo.

A Apple pode nem precisar fazer o carro. Poderia licenciar quaisquer novas tecnologias de veículos de ponta em que esteja trabalhando para fabricantes de veículos, aumentando o acordo com o acesso ao CarPlay e dividindo o compartilhamento de receita em torno da entrega e aquisição de conteúdo no carro.

A BMW recuou em sua decisão de cobrar dos motoristas uma assinatura para usar o CarPlay em seus veículos, mas não descarta a importância das tentativas do fabricante de veículos de vender atualizações no carro como opções de preço adicionais da mesma forma que vendem acabamentos de veículos.

Os serviços de assinatura se estenderão aos desbloqueios de software para recursos de hardware existentes. A Capgemini acredita que mais de 20% da receita da indústria de veículos será derivada de software até 2030.

Festa satélite

Dito isso, nunca vi a Apple como uma opção adicional, nem acho que a empresa se veja dessa forma. O que torna muito mais provável que ela queira sua própria marca em seu próprio veículo. (É bom pensar que esses veículos provavelmente terão um sistema internacional de chamadas de emergência baseado em satélite para encontrar ajuda quando perdidos no deserto ou após um acidente em um lugar solitário. Não é de admirar que o Space X, de Elon [Musk], tenha tentado arruinar a festa Global Star da Apple.)

Ao mesmo tempo, todos os fabricantes de veículos agora percebem que simplesmente não podem substituir todos os veículos na estrada. As metas de mudança climática e a escassez de matérias-primas significam que a substituição em massa de um para um simplesmente não vai acontecer. A mudança para veículos eletrônicos é uma que acabará sendo caracterizada pela escassez e, nesse modelo, o acesso ao invés da propriedade faz sentido.

É por aqui que a maioria das pessoas coloca a estatística de que os carros que já usamos ficam estacionados 95% do tempo, o que implica que realmente precisamos substituir apenas 5% dos veículos em uso para alcançar o mesmo nível de mobilidade. (E talvez possamos adotar o trabalho remoto e as horas de trabalho escalonadas.)

Os consumidores confiam nos EVs?

Quanto à aceitação de veículos elétricos (EVs), ainda não chegamos lá. E todos nós conhecemos o problema com os pontos de carregamento em algumas regiões – ou não são suficientes ou a infraestrutura de distribuição de energia inerente ainda não está equipada para suportar muitos deles. Os serviços de assinatura de carros permitem que os consumidores experimentem EVs por um tempo. Curiosamente, os consumidores que experimentam um EV não parecem retornar aos veículos movidos a combustível fóssil, de acordo com o MyCarDirect. O pessoal da Apple lê as mesmas estatísticas que eu – e provavelmente tem acesso a uma tonelada de dados adicionais, como onde as pessoas vão, como dirigem e quando querem dirigir. O Mobility Data da Apple foi muito revelador nas informações que compartilhou.

O compromisso da Apple com a proteção ambiental, que parece ir além do simples greenwashing, também tem um papel a desempenhar. Sabemos que a empresa busca construir um sistema de fabricação de circuito fechado para seus produtos. Um componente-chave para conseguir isso é garantir que os sistemas antigos sejam devolvidos ao fabricante, que é parte integrante de um esquema de assinatura de carros.

O acesso a veículos projetados, desde o início, para serem o mais recicláveis possível, para funcionar com energia renovável e disponibilizados como um serviço, certamente, soa como o tipo de oferta que nossos consumidores da Geração X altamente conscientes e motivados estarão interessados.

Acho que a Apple também pensa assim. É um plano que permite alcançar novos consumidores, fazer a coisa certa para o planeta e ganhar bilhões de dólares fazendo isso. Esse é o jeito da Apple. E o que é ainda melhor é que temos pelo menos três anos para especular sobre isso.

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.