5 habilidades que todo desenvolvedor deve ter para se destacar em 2023

Além das habilidades técnicas, profissionais precisam estar atentos a soft skills e conscientes de que o aprendizado nunca termina

Author Photo
8:55 am - 17 de fevereiro de 2023
desenvolvedor, programador, carreira Foto: Shutterstock

Mesmo diante das demissões em massa que impactaram recentemente o setor de tecnologia, há carreiras que seguirão aquecidas. Desenvolvedores back-end, responsáveis por criar e manter sites e softwares, e desenvolvedores de chatbot, estão entre os profissionais mais buscados pelas empresas, segundo o relatório anual do LinkedIn que traz as 25 profissões com mais vagas abertas.

Outro levantamento da Robert Half apontou que desenvolvedores front-end, que cuidam do design e de interfaces de sites, estão em alta neste ano, com salários que podem ultrapassar a marca dos R$ 20 mil.

Para se destacar nesse cenário, os candidatos que dominam algumas habilidades técnicas e socioemocionais – as chamadas soft skills–, largam na frente, indica Larissa de Oliveira, head de operações na Devpass, plataforma global de treinamento de desenvolvedores.

Leia também: Custos atrapalham brasileiros no desenvolvimento de habilidades digitais

Pensando em como as pessoas desenvolvedoras podem aprimorar suas habilidades neste ano, Larissa indica na lista abaixo cinco competências que são diferenciais para aqueles que buscam se destacar em 2023.

Capacidade de trabalhar em squads multidisciplinares

“Esqueça a imagem do profissional de tecnologia numa sala iluminada apenas pela tela do computador, usando fone de ouvido”, lembra Larissa. “Foi-se o tempo em que equipes de tecnologia trabalhavam isoladas: num ano de layoffs e em tempos de equipes enxutas, as empresas têm exigido que seus colaboradores trabalhem em conjunto. As squads multidisciplinares incluem desenvolvedores, profissionais de experiência do consumidor, designers, marketing e produto. Nesse cenário, é importante ter postura de liderança, olhar crítico, saber se comunicar, ter a capacidade de entender o que é prioridade e ser colaborativo”, aconselha.

Conhecer diferentes tecnologias em vez de dominar apenas uma

Python, C++, PHP, Swift, Java… Diante de tantas linguagens e tecnologias diferentes para aprender, o que um profissional deve buscar? Segundo Larissa, o profissional com mais possibilidades é aquele que tem conhecimento em T: sabe um pouco de diversos assuntos (a barra horizontal da letra), e tem um conhecimento aprofundado em um deles (representado pela barra vertical). “O universo da tecnologia está em constante transformação. Assim, é possível que a técnica que você domina caia em desuso ou seja substituída por outra. É o caso da Cobol: anos atrás, todos os bancos usavam e hoje são pouquíssimos. Quem só dominava essa tecnologia é hoje um dinossauro, entrou em extinção”, diz ela.

Nível B1 ou superior de inglês

O mercado de tecnologia está cada vez mais globalizado, permitindo que profissionais brasileiros trabalhem em empresas estrangeiras remotamente e vice-versa. Porém mesmo aqueles que trabalham no Brasil precisam ter um nível ao menos intermediário de inglês –o nível B1, segundo o padrão internacional. O desenvolvedor deve compreender as questões principais de sua área de conhecimento e conseguir se expressar no idioma. “As documentações de iOS, por exemplo, são todas em inglês. É possível encontrar traduções de algumas coisas na internet, mas o ideal é que o desenvolvedor tenha autonomia para entender as coisas por conta própria”, afirma Larissa.

Presença no LinkedIn

Ter um portfólio no GitHub, plataforma onde desenvolvedores podem se auxiliar e compartilhar seus códigos, ainda é fundamental na área, mas é preciso expandir a presença nas redes sociais. O LinkedIn tem ganhado espaço no mercado de tecnologia, mostrando que o profissional está inserido em uma comunidade. “Isso é importante especialmente para quem está buscando vagas de nível mais sênior. Você pode fazer posts mais simples, com dicas e listas sobre a área em que trabalha, e interagir com as publicações de seus colegas”, recomenda Larissa.

Conhecimento de inteligência artificial

Entre as habilidades técnicas mais buscadas pelo mercado neste ano está o conhecimento de inteligência artificial, diz Larissa. Ainda que o desenvolvedor não trabalhe diretamente com esse tipo de tecnologia, é uma área que tem crescido constantemente e permeado cada vez mais setores. Quem tiver ao menos noções do assunto larga na frente na hora de disputar uma vaga.

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.