IA: entre o hype ou ser pragmático no SXSW

Debates na conferência destacam a necessidade de equilíbrio entre entusiasmo e ceticismo em relação à IA

Author Photo
4:05 pm - 13 de março de 2024
SXSW, IA Imagem: Shutterstock

O SXSW 2024 trouxe à tona um debate acalorado entre o entusiasmo desmedido e o ceticismo prudente em relação à Inteligência Artificial (IA). Enquanto muitos exaltam as promessas revolucionárias da tecnologia, vozes pragmáticas alertam para a necessidade de não se deixar levar pela sua “balela encantadora”. Os especialistas Mike Nellis, Gary Marcus e Joe Staples expressaram preocupações sobre o atual hype em torno da IA, comparando-a à febre das criptomoedas há alguns anos atrás, ao The Drum.

Cada dia no SXSW 2024 traz consigo uma série de debates fervorosos sobre como a IA está moldando desde o jornalismo até a astrofísica. No entanto, mesmo com o entusiasmo palpável em relação ao poder da IA, uma voz de ceticismo começa a ecoar nas discussões.

Durante uma entrevista nesta segunda-feira para o The Drum, Mike Nellis, Fundador e CEO da Authentic, uma agência de publicidade especializada em campanhas políticas, disse que “todo mundo está falando sobre IA”, parecendo, agora, “um termo que não significa nada”.

Veja a cobertura completa do SXSW 2024

Durante sua participação no SXSW deste ano, Nellis expressou desapontamento com o exagero em torno da IA no evento, comparando-o ao frenesi que cercou as criptomoedas no passado. Ele enfatizou que a conversa excessivamente otimista sobre a IA pode levar as pessoas a mal interpretarem sua verdadeira função e utilidade, equiparando-a a uma espécie de fervor quase religioso. “Você tem muitas pessoas que agem como se tivessem visto o rosto de Deus, e eu simplesmente não acho que seja o caso”, disse ele ao The Drum.

A crítica à hipérbole em torno da IA é acompanhada por questões profundas sobre sua utilidade real e seu potencial impacto na sociedade. Nellis enfatiza a importância de compreender as limitações da tecnologia e focar no que ela pode fazer no presente, ao invés de alimentar expectativas irreais sobre o futuro, assim como foi o hype das criptomoedas há alguns anos. “Todo mundo que era um especialista em cripto há dois anos é um especialista em IA agora”, sugeriu Nellis.

Gary Marcus, psicólogo e escritor, em um painel sobre desinformação gerada por IA, ecoou o tom cético de Nellis ao responder a um comentário sobre o ChatGPT fornecer informações imprecisas de maneira “encantadora”, afirmando que “balela encantadora ainda é balela”. Ele ressaltou que, apesar de suas críticas às declarações exageradas sobre a IA, não é contra a tecnologia.

Essa postura reflete um movimento em direção a uma visão mais equilibrada e pragmática da IA, como observado por Joe Staples, Diretor de Criação da agência de publicidade Mother, que destaca a necessidade de educar e capacitar os trabalhadores para aproveitar ao máximo os avanços tecnológicos.

Ele acredita que as agências modernas precisam aproveitar a IA para aprimorar as habilidades de seus funcionários, adaptando-se às mudanças rápidas da indústria. “Como você poderia ensinar aos jovens a se tornarem essencialmente diretores criativos em seis meses? Se você puder fazer isso com o uso da IA, não precisa demitir metade de sua força de trabalho”, comentou Staples.

Esse tom crítico e reflexivo sugere uma mudança de paradigma em relação à IA, à medida que a sociedade busca encontrar um equilíbrio entre o otimismo necessário para impulsionar a inovação e a prudência necessária para mitigar seus possíveis impactos negativos.

Siga o IT Forum no LinkedIn e fique por dentro de todas as notícias!

*Com informações do The Drum

Tags:
Author Photo
Redação

A redação contempla textos de caráter informativo produzidos pela equipe de jornalistas do IT Forum.

Author Photo

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.