Avon: digital molda empoderamento feminino

Por meio da tecnologia, Cláudia Meira, diretora de TI da Avon Cosmetics Brasil, promove a inclusão digital de mais de 1,2 milhão de revendedoras

Author Photo
8:08 pm - 18 de março de 2020
Avon: digital molda empoderamento feminino

vôlei levou Cláudia Meira, diretora de TI da Avon Cosmetics, a ingressar na tecnologia e a se apaixonar por ela. Aos 14 anos, por causa desse esporte, ganhou uma bolsa de estudos em processamento de dados, resolveu encarar o desafio e foi fisgada ao primeiro contato. Aos 20 anos, já desenvolvia sistemas. 

Aprimorou seu conhecimento em Sistemas de Informação na USP, pósgraduação em Engenharia de Software na Unicamp e em Gestão de Projetos na USP. Traz na bagagem oito anos de experiência no mercado financeiro, passando por instituições financeiras importantes como Unibanco e Citibank. 

Até que em 2005 ingressou na Avon como analista de negócios sênior. “Tenho muito orgulho disso. Aprendi a trabalhar mais em equipe. A união de esforços te leva aos resultados. Aqui tive a oportunidade de trabalhar em projetos internacionais em diversos países como China e Índia”, conta Cláudia. 

A executiva, que comanda a tecnologia em uma empresa que soma mais de 130 anos de história, faz questão de relatar que ocupar esse cargo tem um sentido muito além da tecnologia. “É uma companhia diferenciada em sua atuação. Desde a sua criação, ela empodera mulheres, dando oportunidades, perspectivas, inclusão. Hoje, são mais de 6 milhões de revendedoras no mundo inteiro. E a tecnologia tem contribuído para tornar mais prático e intuitivo o trabalho delas, a interação com suas clientes e com a empresa.”  

Cláudia destaca que antes a TI era uma área de suporte e hoje é uma área estratégica.  “Temos o compromisso de criar soluções e ferramentas para crescimento dessas revendedoras e para que a empresa inove com cosméticos. É um círculo virtuoso. E, assim, a Avon também tem participação efetiva no social do País”, afirma a executiva, integrante da fatia de mais de 60% de mulheres do total de colaboradores da companhia. 

“A tecnologia ajuda a dar maior visibilidade ao nosso trabalho, especialmente por meio de redes sociais. Cada vez mais blogueiras usam nossos cosméticos e as mulheres se sentem confortáveis em se fazer bonitas, sendo mães, esposas, executivas ou donas de casa. Nossa marca é democrática e competitiva”, ressalta.    

Projeto campeão 

O projeto Transformação Digital Força de Vendas Avon levou Cláudia a arrebatar o Prêmio Executivo de TI do Ano 2020, realizado pela IT Mídia, na categoria Bens de Consumo não Duráveis. Entre outros benefícios, ele impactou 13 mil executivas de vendas que trabalham no cadastramento de novas revendedoras, por meio do aplicativo de recrutamento. 

O aplicativo é simples e permite fazer todo o cadastro de uma revendedora, tirar fotos de documentos, validar crédito no bureau automaticamente. Esse processo era totalmente manual e em papel e agora 100% digitalizado. O app faz parte da jornada do digital em curso na empresa, que inclui variadas evoluções tecnológicas com o objetivo de acelerar a inovação em variadas áreas de negócios. 

“O app de recrutamento me emocionou particularmente, porque foi muito além dos ganhos que esperávamos como produtividade e lucratividade. Promoveu inclusão digital e impacto social. Obtivemos muito retorno agradecendo a funcionalidade e a simplicidade de uso. Eu mesma recebi um áudio de uma revendedora do sertão do Nordeste, muito humilde, falando que a vida dela mudou, e como se sentia incluída e orgulhosa ao usar a tecnologia”, relata. “O digital provoca um impacto massivo.” 

chatbot Belainovação com Inteligência Artificial, é mais uma estrela do projeto campeão. “Ele nasceu da necessidade de prover o melhor serviço para a revendedora. Imagine que durante a greve dos caminhoneiros, oferecemos um serviço via whatsApp, que é acessado mesmo que o usuário não tenha plano de dados. Disponibilizamos informações sobre quando o pedido da revendedora seria entregue. Conseguimos fazer uma comunicação massiva durante essa crise nacional. Cerca de 300 mil revendedoras usam o WhatsApp”, diz. 

Na avaliação de Cláudia, a transformação começa de dentro para fora. Ela diz que é preciso ser ágil em prover soluções, porque a concorrência é alta. O maior desafio, afirma a executiva, é o change management para mover a adoção das soluções rapidamente. “Principalmente para um público com pouco conhecimento no mundo digitalO maior aprendizado é que o usuário final precisa fazer parte do projeto. 

O objetivo da Avon, prossegue Cláudia, é melhorar significativamente a experiência da Força de Vendasaprimorando serviços e produtividadecontribuindo para a redução de custos operacionais da empresa. E muito mais: empoderar, incluir e impactar socialmente cada vez mais mulheres, finaliza a Executiva de TI do Ano 2020 na categoria Bens de Consumo não Duráveis. 

Finalistas do prêmio Executivo de TI do Ano 2020, na categoria Bens de Consumo não Duráveis 

1º Claudia Meira Avon, diretora de TI da Avon Cosmetics

2º Leandro Cresta, CIO Latam da BIC

3º Américo Jardin, gerente de TI da Hope Lingerie 

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.