Conheça: BRF aplica gestão de conhecimento para desenvolver produtos

Desde 2023, processo estabelecido pela área de P&D da BRF registra novos conhecimentos gerados

Author Photo
11:06 am - 26 de fevereiro de 2024
BRF Innovation Center, BRF BRF Innovation Center (BIC). Foto: Divulgação

Na BRF – multinacional brasileira do ramo alimentício surgida da fusão entre Sadia e Perdigão –, a adoção de práticas de gestão do conhecimento (GC), adotadas há alguns anos principalmente pela área de pesquisa e desenvolvimento (P&D) tem trazido impacto positivo nos resultados da companhia. O investimento feito desde 2019 já é sentido nos resultados, diz a empresa.

A diretoria de P&D da empresa gera conhecimento em ritmo acelerado, por isso investe em GC desde 2019, com apoio direto da liderança da vice-presidência de inovação e novos negócios. Essa equipe tem mais de 100 colaboradores divididos em cinco gerências, e detém 2.800 SKUs, 17 mil especificações, 15 mil listas técnicas, 18 mil artes gráficas e mais de 1.200 projetos em andamento.

“A diretoria de P&D está fortemente ligada à inovação, que é um dos pilares estratégicos em todas as etapas da cadeia produtiva da BRF”, explica Fabio Bagnara, diretor da área de P&D da BRF.

Leia também: Em 5 anos à frente da Atos na América do Sul, Nelson Campelo transforma empresa

A gestão de conhecimento na diretoria de P&D da BRF começou como projeto entre agosto de 2019 a dezembro de 2021, e se consolidou como processo a partir de 2022. A equipe desenvolveu um modelo de gestão condizente com as necessidades da área e passou a sistematizar fluxos de conhecimento, mitigando perdas de conhecimentos imediatas e futuras. Isso trouxe melhor aproveitamento dos conhecimentos entre projetos e demais iniciativas e criou aprendizagens rápidas para consolidação de GC, diz a empresa.

O planejamento contemplou uma metodologia de gestão adaptada à realidade de negócio e voltada às metas e estratégias da companhia. A área de P&D contou com a orientação da Impakt Consultoria durante o período em que GC era um projeto.

“Mapeamos com nossos gestores e consultores técnicos todos os conhecimentos críticos da nossa área. Determinamos como critérios dessa análise a relevância do conhecimento para o futuro, para o negócio, a criticidade de aquisição desse conhecimento no mercado e o risco de perda desse conhecimento”, conta Fernando Prado, gerente executivo de inovação, tecnologia e gestão de conhecimentos da diretoria de P&D da BRF.

Mudanças de paradigma

A primeira frente que a área executou foi chamada de Transferência Acelerada, e mobilizou dezenas de pessoas entre janeiro de 2021 até dezembro de 2022. Foram criadas forças-tarefas que se reuniram e registraram dezenas de materiais e participaram de eventos de disseminação de conhecimento.

As práticas de GC foram realizadas conforme a necessidade do conhecimento a ser compartilhado. Equipes elaboraram capacitações, manuais, storytelling em vídeo, workshops, oficinas, estudos de caso e estudos técnicos.

Assim foi gerado um mapa de conhecimentos críticos, em que 86% dos conhecimentos mapeados atingiram mais de 80% de grau de disseminação e descentralização, e 14% estão em andamento em 2023.

Somente em 2022, P&D contou com 11 grupos de conhecimentos críticos trabalhados, com 56 temas envolvidos, 62 materiais elaborados e mais de 1.000 participações em 28 eventos de disseminação de conhecimento na BRF.

Uma segunda frente, que ganhou mais força em 2023, é a de conhecimentos atuais e em desenvolvimento. O conhecimento que surge a partir dessa data tem garantia de registro e compartilhamento por meio da implementação de um Relatório Técnico, que compila em documento único o conhecimento tácito gerado em todo o desenvolvimento do produto, e que também é compartilhado em eventos específicos com foco em novas tecnologias e inovações.

Algumas ferramentas foram adaptadas na área de P&D, a fim de garantir a disponibilidade das informações com confidencialidade adequada, como a criação do portal de GC e da Biblioteca Técnica.

“As pessoas entendem a importância do conhecimento, mas, diante da rotina e de tantas prioridades, projetos e correria do trabalho, o olhar de profissionais específicos para GC é fundamental”, explica Prado.

Importância e envolvimento

A área de P&D da BRF implementou, desde 2020, uma pesquisa anual com as equipes envolvidas direta e indiretamente com as ações de GC. A pesquisa é realizada de forma anônima e mapeia avanços, recebe feedback das equipes envolvidas, e busca dar transparência ao processo e encontrar melhorias.

Em 2022, 93% dos ouvidos disseram que os conhecimentos apresentados podem ser aplicados em projetos de outras áreas. E 89% disseram ter obtido maior qualidade no resultado do trabalho.

Em 2022, 97% dos respondentes afirmaram que os conhecimentos críticos priorizados estão alinhados à estratégia da organização, e 95% dizem que a implementação de GC valoriza as áreas.

Siga o IT Forum no LinkedIn e fique por dentro de todas as notícias!

Author Photo
Redação

A redação contempla textos de caráter informativo produzidos pela equipe de jornalistas do IT Forum.

Author Photo

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.