Startups na América Latina ainda estão longe de captar valores registrados na pré-pandemia

Segundo relatório da Latitud, startups da região captaram até o terceiro trimestre US$ 2,75 bilhões

Author Photo
10:17 am - 01 de dezembro de 2023
startups Imagem: Shutterstock

O número de startups apoiadas pelo Venture Capital na América Latina continua a aumentar, no entanto, o volume captado pelas empresas ainda fica atrás aos anos de 2019 e 2020, identificou um novo relatório realizado pela Latitud, plataforma de tecnologia que fornece infraestrutura para startups.

De acordo com o “The LatAm Rech Report”, em 2023, as startups da região receberam, até o terceiro trimestre, US$ 2,75 bilhões. A título de comparação, em 2019, foram investidos US$ 5 bilhões. Em 2020, US$ 4,23 bilhões. Em 2021, ano auge da pandemia, o volume saltou US$ 15,97 bilhões para desacelerar em 2022, com US$ 7,88 bilhões captados.

Entre os setores, as fintechs ainda são as mais maduras na América Latina. Elas receberam mais de 40% de todos os investimentos de venture capital na região em 2023 até o terceiro trimestre.

Leia mais: O papel dos principais KPIs financeiros para startups

As startups de e-commerce também amadureceram junto com a adoção de tecnologia pela população latino-americana, recebendo atenção de investidores especialmente em 2020 e 2021. Hoje, 3 a cada 4 pessoas já compraram algo online na região.

A logística como um todo ganhou mais impulso com as restrições da cadeia de abastecimento e o aumento do comércio eletrónico provocado pela pandemia de Covid-19. Mesmo que o financiamento tenha diminuído em 2022 e 2023 em termos de volume, as startups de logística continuam a ganhar um percentual maior do total dos investimentos de capital de risco, aponta o estudo.

Na análise do relatório, as startups de SaaS estão bem posicionadas para crescer após a digitalização trazida pela pandemia de Covid-19. A arrecadação de fundos para SaaS na América Latina cresceu neste ano em comparação com 2022, enquanto o setor geral de startups recuou.

Fundadores e investidores de proptechs estão otimistas em participar da mudança imposta pela pandemia. “Embora o montante de capital investido em proptechs tenha caído no acumulado do ano de 2023, recuou menos do que a média diante de uma clareza maior do mercado quanto a taxas de juros, inflação, e futuro dos imóveis”, destaca o estudo.

O relatório avalia que as healthtechs da América Latina estão em um momento mais maduro, após a tragédia sanitária trazida pela Covid-19. O setor viu um aumento no investimento de capital de risco logo no início da pandemia. Mesmo que esse volume de capital tenha diminuído em 2022 e em 2023 até agora, a participação das tecnologias de saúde no capital de risco total é de 3,8%, o maior nível em 5 anos.

O relatório lembra que a pandemia de Covid-19 forçou as escolas e muitos locais de trabalho a se tornarem digitais, abrindo uma oportunidade para a digitalização da educação tradicional e o desenvolvimento da força de trabalho. As edtechs devem aproveitar a necessidade de atualização e melhoria do setor educacional.

Siga o IT Forum no LinkedIn e fique por dentro de todas as notícias!

Author Photo
Redação

A redação contempla textos de caráter informativo produzidos pela equipe de jornalistas do IT Forum.

Author Photo

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.