Economia global de golpes veio para ficar, alerta SAS

Revolução nos meios de pagamento digitais aumentou a vulnerabilidade das informações. Atacantes estão de olho nas fragilidades

Author Photo
9:00 pm - 21 de agosto de 2023
golpes, crime financeiro, ramsonware Imagem: Shutterstock

Enquanto bancos, fintechs, varejistas e outros negócios correm com suas jornadas digitais para atender as expectativas dos consumidores em relação aos meios de pagamento, criminosos se aproveitam das fragilidades que surgem a todo o momento para dar golpes. Um novo estudo realizado pela Javelin e pelo SAS explorou o cenário das fraudes em 12 países e concluiu que há “economia global de golpes” que “veio para ficar”.

De acordo com o relatório, os esquemas de 2020 foram substituídos por uma abundância de golpes: golpes de romance, oportunidades falsas de trabalho remoto e esquemas de investimento populares, entre outros. O estudo ressalta que o Brasil está à beira de um enorme crescimento digital que depende de como os serviços financeiros podem ser democratizados.

No entanto, a predisposição do brasileiro para adotar rapidamente novas tecnologias também o coloca na mira dos atacantes.

Leia também: Executivo de TI 2023: conheça os CIOs finalistas!

A cultura de pagamentos peer-to-peer (P2P) está se expandindo no Brasil com o Pix, e o investimento em fintechs voltadas para os cidadãos sem conta bancária atingiu níveis recordes. “Ainda assim, a proliferação de vazamentos de dados, golpes e ataques de malware ameaçam o enorme potencial de crescimento digital do país, exigindo proteções robustas contra fraudes e segurança corporativa”, alerta o relatório.

Como contornar as fraudes digitais

O estudo lista também recomendações para combater a fraude na era digital. Entre elas estão a autenticação multifatorial e alertas baseados em contas, que devem ser considerados essenciais, e não apenas interessantes. Também aponta como essencial a consolidação de soluções de monitoramento em uma plataforma única e poderosa controlada por IA.

“A implementação criteriosa de camadas de modelos de machine learning, biometria e ferramentas contextuais suplementares pode ajudar prestadores de serviços financeiros a tomar decisões mais rápidas e precisas em todas as verticais”, diz em comunicado Krista Tedder, diretora de pagamentos da Javelin Strategy & Research. “As soluções devem ser interligadas – e sustentadas por fluxos de dados compartilhados – para combater, efetivamente, ferramentas e estratégias cada vez mais sofisticadas que os criminosos vêm empregando em todo o mundo”.

“Só nos Estados Unidos, os consumidores perderam US$ 8,8 bilhões em golpes no ano passado — um salto de mais de 30% entre 2021 e 2022 — de acordo com a Comissão Federal de Comércio”, diz Stu Bradley, vice-presidente sênior de inteligência de fraude e segurança do SAS.

“A confiança do consumidor no ecossistema global de pagamentos digitais é imprescindível, e ela se baseia no uso eficaz, por parte das empresas, de tecnologias avançadas de autenticação de clientes e antifraude, incluindo IA, machine learning e biometria, para detectar e prevenir fraudes em todos os canais”, pondera o VP.

Siga o IT Forum no LinkedIn e fique por dentro de todas as notícias!

Author Photo
Redação

A redação contempla textos de caráter informativo produzidos pela equipe de jornalistas do IT Forum.

Author Photo

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.