‘Não adianta gastar milhões em eventos pirotécnicos se o básico não estiver bem-feito’, Leo Massarelli, Questtonó

Em palestra no IT Forum Trancoso, executivo provoca sobre tendências e dá detalhes sobre como se tornar uma empresa mais inovadora

Author Photo
3:08 pm - 20 de abril de 2023
Leo Massarelli, CCO da Questtonó Leo Massarelli, CCO da Questtonó (Imagem: GN2 Conteúdo)

Ao falar de design, muitas pessoas pensam no design de cadeia e é, mas mais do que isso, há uma visão estratégica e abrangente do design para as companhias. Essa é uma das considerações de Leo Massarelli, CCO da Questtonó, que realizou a palestra “O básico bem-feito: inovação e crescimento dos negócios pelas lentes CX framework”, no IT Forum Trancoso.

Segundo dados do executivo, o design approach pode elevar o faturamento de uma empresa em 32% e trazer 56% de retorno positivo para investidores.

“Sempre tem um lado luz e um lado sombra, porque as coisas vão acontecendo simultaneamente. Em termos de contexto, o que está acontecendo com as pessoas, por exemplo, o alto índice de depressão, tem implicação muito grande para as marcas e como são criados produtos e serviços que tragam saúde para as pessoas”, diz ele.

Outro exemplo dado por Leo é o metaverso. Se antes todos pensavam sobre o metaverso, agora foi “esquecido” e a grande tendência é a Inteligência Artificial. “É tudo muito inconstante.”

Leia mais: IT Forum Trancoso: buscar ‘guri interior’ é caminho para inovar nas empresas

Uma das formas de inovar, segundo ele, é pensar em arenas e não em indústrias. Essa é uma oportunidade de as empresas crescerem de forma a entregar significado para as pessoas. A Netflix, exemplificando, não necessariamente complete com a HBO, mas com um jogo ou até um bar.

“Quando falamos de vantagens competitivas, elas praticamente não existem mais ou são curtas. Então as empresas precisam adotar outras culturas, elas mesmas fomentando novos modelos”, comenta Leo.

Segundo o executivo, os três grandes desafios dos negócios para inovar e crescer são:

  • Complexidade: o mundo é complexo e será cada vez mais. É tudo ao mesmo tempo e não dá para tomar decisões sem olhar para tudo.
  • Aceleração: é difícil acompanhar e digerir tudo
  • Fragmentação: como inovar e manter a relevância, criando significado em um mundo complexo e acelerado de forma fragmentada?

“Todo mundo quer inovar e se tornar ‘cool’, mas algumas perguntas devem ser feitas para entender as tendências: O que isso significa? O que é sucesso? A gente precisa disso?. Não adianta gastar milhões em eventos pirotécnicos se o básico não estiver bem-feito. O básico é servir bem e servir sempre”, provoca o CCO da Questtonó.

Ser bem-sucedido na entrega do básico vem ao encontro de outra fala do especialista: a percepção de valor das pessoas, normalmente, está ligada a conceitos muito simples. Está na coerência de pontos que funcionam e encantam.

Por fim, Leo ensina uma equação para se tornar uma empresa inovadora e com design driven:

Pessoas + Propósito + Produto = Lucro

Pessoas: Nem tudo são dados. É imperativo compreender verdadeiramente as pessoas, fora da superfície digital

Propósito: Não se distraia com modismos, mas certifique-se de que as decisões de negócios estejam alinhadas com a essência da marca

Produto: Seu produto/serviço é o principal ponto de contato com seu cliente

Lucro: Regras simples, ótimo resultado. Crescimento sustentável, reconhecimento e sucesso

Siga o IT Forum no LinkedIn e fique por dentro de todas as notícias!

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.