Bancos tradicionais despencam em participação de mercado

Bancos tiveram queda de 57% entre 2017 e 2022, indica estudo da Transfeera. Em contrapartida, bancos digitais avançam

Author Photo
10:18 am - 29 de abril de 2023
Imagem: Shutterstock

Os bancos tradicionais no Brasil perderam significativo espaço de mercado nos últimos cinco anos, constatou um novo estudo realizado pela fintech Transfeera, que fornece infraestrutura de pagamentos para empresas. Até dezembro de 2017, 99,8% transferências bancárias realizadas pela empresa se concentravam nos cinco maiores bancos brasileiros – Banco do Brasil, Caixa Econômica, Itaú, Bradesco e Santander. Já em dezembro de 2022, o número caiu para 42,7%.

Essa proporção considera pagamentos feitos por pessoas físicas e jurídicas que tinham como destino os cinco maiores bancos – uma queda de 57% em cinco anos.

Segundo o levantamento, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal são os dois entre os cinco “bancões” que mais vêm perdendo espaço. Em dezembro de 2017 o Banco do Brasil representava 33,1% das transações da fintech. No mesmo mês de 2022, o número não passou de 5%.

Veja também: Banco Central publica regras de projeto-piloto do Real Digital

A queda na participação dos bancos tradicionais se contrasta ainda mais quando comparada ao crescimento dos bancos digitais. Segundo a Transfeera, em abril de 2019 o Nubank representava apenas 1% das transações. Em dezembro de 2022, elas chegaram a 26,6%.

No quesito de transferências para pessoas jurídicas, Itaú e Santander se mantiveram estáveis em suas respectivas parcelas de mercado. Enquanto isso, os outros três grandes bancos sofreram quedas significativas como Caixa Econômica Federal (-20,39%), Bradesco (-16,28%) e Banco do Brasil (-16,19%). Individualmente, Nubank e Itaú concentram o maior volume de transações.

Considerando apenas transações feitas para pessoas físicas, os grandes bancos caíram 57,5% em cinco anos. Em contrapartida, o Nubank passou a dominar quase um terço das transações em dezembro de 2022.

Influência do Pix

O estudo também avaliou a participação das transferências em relação ao Pix a partir de abril de 2021. O Nubank se destacou com 27% em recebimentos de pessoa física por banco. No quadro de recebimento de pessoa jurídica por banco, em maio de 2021, 100% das operações eram dominadas pelo Santander, porém em dezembro de 2022, PagSeguro (12,93%) e Nubank (12,09%) lideraram.

“Comparando os dados da Transfeera com os dados do Banco Central, percebemos a profundidade que o Pix atinge nas transações entre pessoas físicas, o que, ainda, não se repete quando falamos de transações de pessoas para empresas ou de empresas para pessoas. As agendas evolutivas do Pix e do Open Finance devem contribuir para uma nova onda de crescimento dos pagamentos instantâneos, entretanto, os entes do mercado também precisam fazer a sua parte propondo inovações para esse arranjo”, comentou Fernando Nunes, CEO e cofundador da Transfeera.

O estudo “Market share de bancos 2023” analisou um montante de 29.680.808 transferências bancárias realizadas pela Transfeera entre abril de 2017 e dezembro de 2022.

Siga o IT Forum no LinkedIn e fique por dentro de todas as notícias!

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.