Como mudar de carreira para trabalhar com tecnologia

Explore cursos, adquira habilidades técnicas e conecte-se com profissionais da área para transitar com sucesso para o setor de tecnologia

Author Photo
3:30 pm - 12 de janeiro de 2024
trabalho, ti, tecnologia

Por Mark Bennett e Christian Schmitz*

O setor de tecnologia oferece variedade, crescimento e desafio para aqueles que estão ingressando no mercado de trabalho. Embora o uso da tecnologia tenha sido popularizado para todas as gerações, isso é principalmente verdadeiro para a geração mais recente de trabalhadores que cresceram em uma sociedade dominada por ela.

De smartphones a mensagens instantâneas, comércio on-line e agora a revolução pela qual a Inteligência Artificial está passando. Todas essas são tendências digitais que permearam a vida desses jovens profissionais. Nem todos passaram por graduações relacionadas à tecnologia, mas o fato de ser nativos digitais lhes dá uma vantagem em termos de adotar novas ferramentas com mais naturalidade.

Graduação prévia pode servir como base

Existem duas rotas possíveis para começar a atuar na carreira da tecnologia se você não tiver formação na área. A primeira envolve utilizar a sua graduação para iniciar em um cargo de trainee e direcionar sua carreira para uma posição de tecnologia. Uma vez dentro da empresa, o caminho para esse redirecionamento é simplificado.

Pessoas que trabalham com análise de negócios, por exemplo, muitas vezes vêm de um background mais generalista, desenvolvendo relacionamentos sólidos de trabalho e obtendo compreensão sobre as plataformas de tecnologia ao longo do caminho.

Elas podem unir os elementos técnicos e analíticos de um negócio e traduzi-los bem para os outros. Suas habilidades também são amplamente aplicáveis, desde mineração de dados até IA. Ao contrário do que muito se pensa, nem todos precisam ser especialistas em programação.

Estágio é um bom caminho para ingressar na área

Os graduados também podem encontrar um estágio em tecnologia e focar na aquisição de novos conhecimentos. E, enquanto seguem trabalhando, podem dar uma “turbinada” nos conhecimentos por meio de treinamentos e certificados on-line para melhorar a compreensão e a empregabilidade para o mercado. Isso tudo sem esquecer de cultivar o networking, é claro, pois construir uma boa rede de contatos é peça-chave nesse processo.

Eventos e encontros são comuns no setor de tecnologia, e um jovem profissional pode conhecer pessoas com anos de experiência, capazes de compartilhar conselhos valiosos sobre a área de atuação. Nesse setor, o networking é valioso e isso possibilita até mesmo que esses jovens recém-graduados fiquem sabendo de oportunidades de trabalho antes mesmo que sejam divulgadas.

Leia também: Perspectivas para o mercado de TI em 2024

As habilidades interpessoais, ou soft skills, contam muito nesse processo. Os empregadores levam em conta o estilo de comunicação, a experiência em gerenciamento de projetos e até mesmo fatores como curiosidade e iniciativa.

Outra maneira para jovens talentos se destacarem na área é por meio da divulgação de vídeos de YouTube com portfólios e interações com novas mídias, como podcasts. O potencial é algo levado em consideração por muitas empresas na hora de contratar e isso inclui as habilidades interpessoais, além dos conhecimentos técnicos. Os empregadores levam em conta o estilo de comunicação, a experiência em gerenciamento de projetos e até mesmo fatores como curiosidade e iniciativa.

Um setor diversificado que oferece funções diversas

As linhas estão se tornando mais tênues entre os setores de tecnologia e carreiras mais tradicionais. Isso gera oportunidade para graduados de diversas áreas de formação. As companhias necessitam de bons comunicadores trabalhando ao lado de pensadores analíticos e criativos. A adequação à cultura da companhia também é crucial, pois embora seja mais difícil mudar a personalidade de alguém, é possível desenvolver as hard skills (habilidades técnicas).

Para graduados em áreas de STEM que possuem afinidade com matemática, é mais intuitivo entender os conceitos de TI, especialmente quando falamos sobre dados (incluindo modelos de dados, bancos de dados e análise de dados), mas também há demanda para diplomas não relacionados à matemática ou cálculo. Um dos campos que mais cresce atualmente é o de Inteligência Artificial, com a função de engenheiro de prompts, que não requer uma formação específica, mas, sim, afinidade e familiaridade com a ferramenta em questão.

Portanto, se você estiver pensando em como iniciar uma carreira em tecnologia, existem muitas chances, com ou sem um diploma relacionado à área. Existem oportunidades para quem souber tirar vantagem delas e diferentes maneiras de obter sucesso em uma indústria que cresce rapidamente.

*Mark Bennett é diretor associado da Robert Half na Austrália; Christian Schmitz é diretor de Tecnologia da Robert Half na Alemanha

Siga o IT Forum no LinkedIn e fique por dentro de todas as notícias!

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.