Windows 11 e Android: repensando a conexão entre PC e telefone

Author Photo
11:25 am - 07 de fevereiro de 2022
windows11

Fato relevante: A maioria das empresas mencionadas são clientes do autor. Este artigo foi originalmente publicado em 27 de janeiro de 2022.

A Microsoft acaba de publicar uma atualização no Windows 11 que inclui vários novos recursos interessantes. Como ainda estamos no início do ciclo de vida do Windows 11, a Microsoft continua focada em adicionar recursos em vez de empurrá-los até o Windows 12. (Este é o período de “brinde” da evolução do sistema operacional, e muitas vezes é divertido, às vezes frustrante e quase sempre interessante.)

A parte em que estou focado é a integração de aplicativos Android e por que isso pode tornar redundantes vários esforços de integração de telefones celulares da Dell, Intel e até da Microsoft. Vamos explorar.

Celulares e computadores

Na CES, no início deste mês, todas as três empresas apresentaram aplicativos que conectam seu smartphone ao seu PC com níveis variados de interoperabilidade. Os benefícios são que você não precisa retirar os telefones para usar os aplicativos nele e pode acessar esses aplicativos do seu PC conectado. Se quiser, você pode colocar o telefone ao lado do teclado para servir como outra pequena tela de notificação.

Agora, ter uma tela que você normalmente vê de 12 a 18 polegadas do seu rosto a quase duas vezes essa distância pode ser uma distração. Além disso, é mais provável que você saia e deixe seu telefone para trás – e deixá-lo ativo em sua mesa pode ser um problema. Os smartphones são cada vez mais usados para ajudar a proteger sua identidade e garantir que pessoas não autorizadas não mexam com seu PC ou smartphone.

Para mim, o risco de deixar meu telefone para trás significa que não vou colocá-lo na minha mesa; Não achei os aplicativos de conexão de telefone úteis o suficiente para arriscar esquecer meu telefone.

Aplicativos Android e Windows

Se você pode executar seus aplicativos Android no seu PC, o principal motivo para fazer a ponte entre os dois dispositivos desaparece. Você pode acompanhar esses aplicativos em seu PC e seu telefone pode ficar no seu bolso, pasta ou bolsa. Dado que os aplicativos Android de hoje são amplamente sincronizados, parece que você pode obter a maioria dos benefícios de um smartphone conectado sem precisar conectá-lo. Se você precisar de outra tela, obtenha uma. Será maior e mais convenientemente posicionado do que um smartphone. (Minha mesa é ligeiramente inclinada, então meu smartphone desliza regularmente no meu piso de cerâmica, o que pode rachar a tela ou amassar o telefone.)

A Microsoft está pressionando essa integração de aplicativos porque, assim como a Apple já dependia da Microsoft para sua camada de produtividade nos computadores da Apple, a mudança dá muito controle à empresa que possui os aplicativos. Além disso, os aplicativos Android são projetados para telas pequenas e geralmente não são bem dimensionados, portanto, não computam muito com aplicativos nativos do Windows. Mas essas limitações podem ser abordadas pelo Google, criando um risco estratégico para a Microsoft. O Google ainda não pensou completamente em sua estratégia Android/Chrome OS, portanto, embora esse seja um risco potencial para a Microsoft, ele ainda não começou a surgir.

Por fim, a Microsoft poderia agrupar os aplicativos Android para torná-los mais úteis em um PC e garantir que eles não transformem a plataforma Windows em um proxy para o Google. Acho que o caminho ideal para a Microsoft é pensar em um design de hardware que possa tornar obsoletos os designs atuais de PCs e smartphones. Já passou da hora de essas plataformas semelhantes em capacidade começarem a se integrar, se não se fundir, em um nível muito mais profundo. Nesse caso, seria necessária a compatibilidade do aplicativo Android.

A interrupção da integração

As atualizações mais recentes da Microsoft para o Windows 11 apontam para a próxima integração de aplicativos Android. Quando estiver maduro, poderá tornar obsoletas as ferramentas da Dell, Microsoft e Intel que conectam PCs e smartphones – pelo menos no lado do Android. Os aplicativos iOS não são e provavelmente nunca serão executados no Windows. Para iPhones, o único caminho provavelmente será conectar os dispositivos – a menos que a Apple apresente uma melhor integração entre iOS e macOS. (Isso é extremamente improvável, porque a Apple não quer que as duas plataformas se integrem. Qualquer movimento desse tipo pode impedir os clientes de comprar laptops, desktops e iPhones da Apple, afetando negativamente a receita da empresa.)

Para a Microsoft, a mudança para colocar aplicativos Android no Windows 11 provavelmente inicia a fusão de smartphones e PCs. E sugere o surgimento de um futuro misto, onde um dispositivo pode oferecer o que dois fazem agora.

Levará alguns anos, mas essa integração com o Android – dependendo de como essa integração crescente evolui – sugere que há outro grande evento de tecnologia pessoal disruptivo em nosso futuro.

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.