Materiais para Download
Descubra a Rede IT Mídia
Conheça os Fóruns

TrueChange e Siemens fecham parceria para expandir low code

Companhias vão trabalhar em conjunto para implementação da plataforma Mendix; abordagem teve destaque durante a pandemia

Por  Debora Oliveira e Tiago Alcantara

12:05 - 12 de novembro de 2020
Compartilhar
Foto: Adobe Stock

Quem já precisou da ajuda do time de TI para ter acesso aos dados de uma relatório ou desisitiu do projeto de um aplicativo por conta de sua complexidade deve olhar com bons olhos para o chamado low code. Afinal de contas, o aplicativo que você usa para cotar um seguro ou mesmo a solução web que torna mais fácil o acesso aos dados de um CRM podem estar sendo desenvolvidos usando a tecnologia.

Como era de se imaginar, a pandemia acentuou um foco estratégico nas questões de negócio. E abriu espaço para a ampliação de soluções de low code em substituição ao desenvolvimento mais “tradicional” de software. Ou seja, o uso de soluções onde é possível desenvolver aplicativos e programas às vezes sem escrever sequer uma linha de código. É nesse cenário que a TrueChange anunciou uma parceria com a Siemens para oferecer a solução Mendix no mercado nacional.

Assista: a transformação digital da centenária Nestlé

De acordo com o Gartner, 75% das grandes empresas vão usar ao menos quatro ferramentas para de desenvolvimento de low code para o desenvolvimento de aplicativos de TI até 2024. Lázaro Pinheiro, CEO da TrueChange, explica que a parceria vai ajudar empresas a poderem resolver problemas de negócios por meio de software. A estimativa é de que esse mercado movimente até US$ 100 bilhões até 2027.

Low code não mais tendência

De acordo com o diretor de Canais da Siemens Digital, Régis Ataídes, essa abordagem não é mais uma tendência e sim uma realidade. “Low code já ocupa o seu lugar no mercado, tem muito espaço para crescer, mas não é mais tendência ou aposta, low code já está consolidado”, explica o executivo da Siemens.

De acordo com o Ataídes, essa abordagem tecnológica é capaz de democratizar e empoderar times em companhias das mais diversas indústrias. Afinal de contas, com o acesso aos dados e possibilidade de criação de aplicações, os colaboradores poderão trazer a cultura de dados para o cotidiano de suas companhias. Nesse sentido, a pandemia ajudou a quebrar alguns paradigmas, segundo Ataídes.

Para os executivos da TrueChange, a parceria com a Siemens reforça que o mercado está mais estabelecido e com grande espaço para crescimento.

“A gente entende as dores das empresas que precisam entregar uma solução e estão tendo que atualizar as soluções tecnologicamente o tempo todo quando você, na verdade, precisa resolver problemas de negócio”, aponta o sócio-diretor da TrueChange, Tiago Farias.

Software desenvolvido por “civis”

Lázaro Pinheiro aponta que a demanda por tanta velocidade não pode depender mais de uma fábrica de software. “O modo tradicional [de desenvolvimento de software] já não atende mais o dinamismo e a maneira das empresas consumirem software”, explica o CEO da TrueChange. Assim, a parceria pode trazer as áreas de negócios para esse mundo, sem que os profissionais delas precisem se aprofundar no mundo da programação, por exemplo.

A solução da Siemens também é capaz de conectar diversas fontes de dados de empresas, como CRM, ERP e outros. Um dos diferenciais dessa tecnologia é que toda a complexidade da ferramenta roda nos bastidores, com uma interface mais amigável para os usuários finais, sejam eles um gestor que precisa de dados ou um usuário com um app na ponta.

Ok, esses problemas resolvidos pela abordagem low code também podem ser resolvidos por um time de programadores. O que muda é o tempo de produção e também economia de recursos para resolver tais desafios.

“Talvez o maior problema da tecnologia seja resistência.  A maioria das empresas ainda tem uma cultura muito forte onde a TI é centralizadora, é por ali que passam os dados, a segurança deles. Há uma falsa impressão de que a TI vai perder o poder que ela tem”, aponta o executivo da Siemens.

Nos últimos anos, a marca investiu US$ 11 bilhões na compra de empresas e uma das últimas aquisições foi justamente o Mendix.

Load more