Nuvem pode trazer 15% de economias ao orçamento de TI dos bancos

Segundo estudo da Mambu e Celent, tecnologia poderia economizar globalmente US$ 240 bilhões em cinco anos

Author Photo
2:41 pm - 22 de outubro de 2022

Bancos e outras instituições financeiras podem economizar globalmente mais de US$ 240 bilhões em cinco anos caso implementem uma plataforma bancária nativa em nuvem, concluiu nova pesquisa da Mambu realizada em parceria com a Celent. O valor, de acordo com o estudo, representa uma redução de gastos de 76% na comparação com a adoção de uma plataforma bancária legada e uma economia de 15% de todo o orçamento de tecnologia das instituições financeiras no período.

Na avaliação do estudo, a economia com plataformas nativas em nuvem já poderia ser contabilizada desde a implementação da tecnologia. Os custos iniciais – que incluem licenças, personalização, integração de sistemas e infraestrutura – seriam reduzidos pela metade. Já os custos recorrentes da implementação, que envolvem manutenções, gastos internos com TI e o uso regular de licenças, cairiam em até 18%.

Leia ainda: Setor de saúde lidera ranking de ciberataques no Brasil

A manutenção das plataformas em nuvem também se mostra, do ponto de vista econômico, mais vantajosa. Segundo o estudo, as plataformas podem ser 80% mais baratas, o que permitiria às instituições financeiras reduzirem de 30% a 40% os gastos com equipes e recursos internos dedicados aos sistemas desatualizados das plataformas tradicionais. Outro fator contabilizado nessa “conta” de redução de custos está no “time to market”. As plataformas em nuvem poderiam reduzir em média 85% o tempo de lançamento no mercado.

“Um core bancário nativo em nuvem melhora a capacidade de lançar produtos rapidamente para os clientes finais, permitindo que a instituição financeira lidere novas frentes e consiga reagir à competição de outros players que contam com plataformas mais ágeis. Dessa forma, é possível atender às demandas cada vez mais exigentes – e em constante mudança – dos consumidores, competir em um mercado cada vez mais acirrado e, de quebra, melhorar a experiência dos talentos internos da organização, que ganham recursos tecnológicos adequados para focar mais na estratégia e menos no operacional”, comenta Laércio Fogaça, head de engenharia de soluções da Mambu na América Latina.

O relatório “The Tipping Point For Core Migration” analisou US$ 296,3 bilhões em gastos de instituições financeiras com tecnologia no mundo todo em 2021 para desenvolver suas projeções.

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.