Fundador da CUFA anuncia fundo de R$ 50 mi para startups de favelas

Objetivo de Celso Athayde é acelerar negócios e aproximar empreendedores de comunidades do mundo dos negócios

Author Photo
1:56 pm - 08 de fevereiro de 2022
Celso Athayde anuncia fundo de R$ 50 milhões com foco em startups das favelas. Foto: Divulgação

Celso Athayde, fundador da Central Única das Favelas (CUFA) e CEO da Favela Holding, anunciou nesta terça-feira (8), o lançamento de um fundo de capital de risco de R$ 50 milhões. Batizado de Favelas Fundos, o fundo será destinado a startups de comunidades que tenham projetos e soluções em diferentes segmentos, como logística, gastronomia, marketing, tecnologia e saúde.

“O desenvolvimento da favela depende de investimento externo e os investidores precisam se conectar com quem entrega para que eles possam investir cada vez mais. O primeiro passo é abandonar esse discurso de carência e mostrar o quanto produzimos”, comentou Athayde em entrevista à Forbes Brasil. Recentemente, Athayde foi reconhecido pelo Prêmio de Empreendedor de Impacto Social e Inovação do Fórum Econômico Mundial.

Leia também: BlackRocks lista as startups mais promissoras de 2022

O Favela Fundos vai investir em diferentes fases das startups, desde uma ideia ainda inicial até o momento em que uma empresa busca expansão. Os valores dos aportes serão avaliados caso a caso e a seleção de projetos será feita pelos CEOs das empresas que integram o Grupo Favela Holding, que conta com mais de 20 companhias voltadas ao desenvolvimento empreendedor dos moradores e de suas comunidades. O grupo trabalha em projetos em conjunto com a CUFA e atende grandes companhias como Natura e P&G.

Do total do fundo de R$ 50 milhões, R$ 20 milhões já foram captados. Os outros R$ 30 milhões empenhados serão aportados após a primeira leva de investimentos. Athayde é um dos sócios do fundo, assim como empresas da Favela Holding e seus respectivos sócios. Evanildo Barros Júnior, empreendedor que atua no setor de marketing, tecnologia e negócios sociais, ajudará na gestão do fundo.

Athayde também espera que muitos dos negócios acelerados sejam voltados à tecnologia. O fundo tem como missão aproximar empreendedores da favela ao mundo dos negócios, assim como fazer ponte entre fundos tradicionais e o mercado de favelas, podendo atrair novos parceiros. O alcance da CUFA também é estratégico para entender melhor o empreendedor e consumidor das comunidades. Ela está presente em 5 mil favelas.

* com informações da Forbes Brasil

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.