Brasileiros não estão preocupados com fraudes de pagamentos instantâneos, diz pesquisa

Segundo estudo da Fico, apenas 6% dos brasileiros se preocupam com golpes envolvendo pagamentos em tempo real

Author Photo
6:35 pm - 23 de março de 2022

Os meios de pagamento instantâneos encontraram lugar cativo no cotidiano dos brasileiros e sua popularização não parece levantar suspeitas. Segundo estudo da FICO, “O Impacto das Fraudes na Experiência do Cliente”, 78% dos brasileiros se dizem dispostos a utilizar meios de pagamento em tempo real, enquanto a preocupação com fraudes envolvendo esse modelo de transação atinge apenas 6% dos brasileiros. Globalmente, esse índice não ultrapassa 7%. O estudo foi feito com mais de 12 mil consumidores em 12 países.

O resultado, avalia o estudo, mostra um mercado maduro do ponto de vista da digitalização, com 97% dos brasileiros afirmando que devem continuar usando os serviços digitais para operações do dia a dia. Por outro lado, o excesso de confiança abre espaço para a atuação de criminosos e fraudadores em um cenário em que a população pouco se preocupa com um tipo de fraude que cresce rapidamente em todo o mundo.

O Brasil soma quase 200 milhões de contas bancárias e demonstra um grande apetite por novos serviços bancários que utilizam tecnologia. A má gestão de uma fraude, no entanto, pode desencadear reações diversas e custar caro para bancos e emissores de cartões. Segundo a pesquisa, 38% dos respondentes estariam dispostos a mudar de instituição financeira e 55% reclamariam com o banco.

Leia mais: Pix faz um ano: plataforma é sucesso entre usuários e empresas, mas ainda deve evoluir

Na visão de Fabricio Ikeda, diretor global de Fraude e Compliance da área de parcerias da Fico, o Brasil apresenta índices positivos de combate à fraude que estão ligados à atuação dos bancos quanto à prevenção.

“Com a popularização do PIX e o rápido crescimento dos meios de pagamento em tempo real, há também a necessidade de inovação, monitoramento e vigilância constante para uma ação efetiva sem desgastar o relacionamento construído com o cliente”, lembra Ikeda. “O brasileiro espera que o banco ofereça uma experiência positiva por meio de controles inteligentes de gestão de fraudes e comunicações proativas. Por isso, implementar modelos analíticos orientados por inteligência artificial e machine learning ajudam a detectar e prevenir fraudes com menos atrito com o cliente”.

Globalmente, 31% dos participantes da pesquisa disseram que a fraude que mais os preocupariam seria a chamada Account Takeover (ATO), ou a invasão de contas; 24% com o roubo de dados de cartão de crédito ou débito; e 22% com a apropriação indevida identidade para a abertura de uma conta.

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.