BC expande oficialmente o Open Banking, agora chamado Open Finance

Open Finance prevê partilha de informações de serviços financeiros além do bancário, como câmbio, investimentos, seguro e previdência

Author Photo
9:01 pm - 24 de março de 2022
compartilhamento, dados, open banking, open finance Imagem: Shutterstock

O compartilhamento de informações e de serviços entre bancos, chamado open banking, foi oficialmente ampliado pelo Banco Central nessa quinta-feira (24) para demais instituições financeiras. O movimento, já previsto pela instituição, renomeia a prática, que passará a ser conhecida como Open Finance. O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou a resolução que cria um novo marco regulatório para a troca de dados.

A principal diferença está na abrangência da iniciativa. Enquanto o Open Banking ficava restrito a dados e a serviços relacionados a produtos bancários tradicionais, o Open Finance prevê o compartilhamento de informações sobre outros serviços financeiros, como credenciamento, câmbio, investimentos, seguro e previdência.

O primeiro passo para a implementação do Open Finance foi anunciado na terça-feira (22), quando o Banco Central autorizou o compartilhamento de dados do crédito rural. Além dos bancos que fornecem crédito aos produtores rurais, a troca de informações abrangerá setores como agências de classificação de risco, empresas de auditoria, certificadoras e mercado de capitais (empresas que operam no mercado de ações e de derivativos).

Para consolidar a migração, o Banco Central e o CMN editaram resolução conjunta para atualizar a nomenclatura usada na regulamentação atual. Em nota, o BC informou que discute, com a Superintendência de Seguros Privados (Susep) e o Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), a possibilidade de os participantes do Open Insurance (compartilhamento de dados entre seguradoras) participarem do Open Finance.ebcebc

Monitoramento

Até 30 de junho, o BC aprovará a estrutura definitiva de governança (estrutura de monitoramento) do Open Finance. Essa estrutura deve permitir o acompanhamento do compartilhamento de informações e de serviços e definirá as punições para as instituições financeiras que descumprirem as obrigações, como falhas de segurança.

Antes da montagem dessa estrutura, o BC e o CMN incorporaram à regulamentação dispositivos para garantir o bom funcionamento do open finance. Entre os pontos regulados estão boas práticas de governança (administração), políticas de controles internos, gestão de riscos, auditoria, transparência e políticas de comunicação.

Além das resoluções do BC e do CMN, as instituições financeiras que fizerem parte do open finance estarão sujeitas a obrigações estabelecidas em na convenção firmada entre os participantes. Essas obrigações estão escritas em contratos, súmulas, guias e outros documentos, esclareceu o Banco Central.

* com informações da Agência Brasil e do Banco Central do Brasil

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.