Aceitação do Pix no varejo quase dobra no 2º trimestre de 2021

Volume de pagamentos na modalidade atingiu 2,16%, frente aos 1,16% do primeiro trimestre, indica estimativa da Gmattos

Author Photo
3:34 pm - 15 de setembro de 2021
Foto: Shutterstock

A adoção do Pix – sistema de pagamentos instantâneos brasileiro inaugurado em novembro de 2020 – segue crescendo não só entre varejistas online, mas também entre estabelecimentos físicos. A participação da modalidade entre os meios eletrônicos (incluindo cartões de crédito, débito e pré-pagos) no comércio brasileiro quase dobrou entre o primeiro e o segundo trimestres de 2021, saindo de 1,16% para 2,16%.

Os dados fazem parte da primeira edição de um estudo da Gmattos, consultoria especializada em meios de pagamento. A empresa projeta que, mantidos os vetores de crescimento do PIX e a estimativa do volume total de pagamentos com cartões em 2021, a nova modalidade instantânea poderá representar 3,4% do volume total no último trimestre desse ano.

Leia mais: Brasil registrou 16,2 bilhões de tentativas de ciberataques no 1º semestre

A adoção pelos maiores lojistas online brasileiros cresceu 8,5 pontos percentuais entre maio e julho, passando de 32,2% para 40,7%. O estudo considera a aceitação das maiores lojas online do país de cada segmento, que juntas somam 85% do mercado.

Considerando pesquisas feitas desde janeiro, o Pix apresenta alta acumulada de 23,8 pontos percentuais no período – a aceitação era de 16,9% no primeiro mês do ano, ou seja, mais que dobrou em seis meses.

O pagamento na modalidade débito é a mais afetada pelo Pix, e não o boleto, como se acreditava em novembro de 2020. Das lojas online que aceitam PIX, 91,6% mantêm a aceitação de boletos, ao passo que apenas 33% aceitam simultaneamente o débito.

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.