5 etapas para encontrar valor na nuvem

O que as empresas com estratégias de nuvem bem-sucedidas sabem que seus pares não sabem? Onde procurar valor

Author Photo
4:51 pm - 11 de fevereiro de 2022
Adobe Stock

Por Aamer Baig e James Kaplan da CIO

Sempre há dores de crescimento associadas a novas tecnologias – e a nuvem não é exceção. Muitas empresas fizeram grandes investimentos, mas ficaram decepcionadas com os resultados. Mas desistir não é realmente uma opção: a nuvem pode gerar até US$ 1 trilhão em valor na próxima década apenas entre as 500 da Fortune, de acordo com a pesquisa da McKinsey [Isenção de responsabilidade: os autores são empregados pela McKinsey]. Acertar é uma questão de urgência.

Além disso, isso não é simplesmente uma questão de potencial. As empresas que obtiveram sucesso com suas estratégias de nuvem entendem algo que seus pares não entendem: onde realmente está o valor e o que é preciso para agarrá-lo.

Aqui estão 5 ações tomadas por aquelas empresas que acertam a equação de valor:

Invista para criar valor comercial, não apenas para cortar custos de TI. A pesquisa da McKinsey descobriu que cerca de 90% do valor disponível na nuvem vem de um tempo de lançamento no mercado mais rápido, inovação, resiliência aprimorada e economia de custos nas operações de negócios.

Quando uma grande corretora, por exemplo, usou a nuvem para desenvolver um novo portfólio de aplicativos, aumentou a velocidade de desenvolvimento de recursos em cinco vezes e reduziu as despesas operacionais em 90%. A chave é identificar qual trabalho pode se beneficiar da velocidade, agilidade e escalabilidade rápida que a nuvem oferece e, em seguida, investir o suficiente em termos de equipes e habilidades para obter esses benefícios. O atendimento ao cliente tem um grande potencial; contas a receber, nem tanto.

Reconstruir o modelo operacional em torno dos produtos. Muitas empresas tentam explorar a nuvem com uma maneira tradicional de trabalhar, como transferências frequentes, revisões demoradas e testes manuais. Isso é como atualizar para um carro de alto desempenho e usá-lo apenas para pegar as compras.

Em vez disso, transforme tudo em um produto – pense em displays de produtos de comércio eletrônico, confirmação de compra e e-mail personalizado – que podem ser usados por pequenas equipes em toda a empresa para criar o que os clientes desejam. Essa abordagem torna uma equipe responsável pela entrega de um produto finalizado em vez de partes do produto.

Para dar suporte a essa orientação de produto, as empresas devem procurar automatizar todas as partes do processo de desenvolvimento e lançamento, incluindo provisionamento de servidor e geração de código de infraestrutura. Implementações bem-sucedidas de modelos operacionais orientados ao produto podem levar a melhorias de produtividade no desenvolvimento e lançamento de 20 a 25%, com base na experiência da McKinsey com nossos clientes.

Otimize a economia. O trabalho de gerenciar a nuvem por valor nunca termina. Isso ocorre porque os provedores de serviços em nuvem (CSPs) estão sempre lançando novos recursos e porque o uso gera custos. A nuvem é tão fácil de usar que as empresas muitas vezes acabam usando mais do que o esperado, levando a grandes contas.

As empresas precisam entender quanto seus aplicativos consumirão, quando e por quanto tempo. A implementação adequada de técnicas de otimização como rastreamento de uso em tempo real, previsão de demanda precisa e automação de processos normalmente economiza de 20 a 30% dos custos de nuvem e, às vezes, muito mais, com base em nossa própria experiência de trabalho com clientes. Uma empresa de entretenimento analisa todos os aplicativos e sistemas na nuvem todos os meses. Os engenheiros se concentram naqueles que custam mais e trabalham para otimizá-los, por exemplo, desenvolvendo serviços sem servidor para reduzir custos. O resultado: economia de US$ 3 milhões por ano por engenheiro.

Não negligencie os recursos fundamentais. As empresas geralmente estão tão ansiosas para usar a nuvem que correm para criar ou migrar aplicativos sem investir em recursos fundamentais essenciais, como automação ou arquiteturas de referência. Isso tem vários efeitos de perda de valor, incluindo longos atrasos à medida que as iniciativas de nuvem ficam congestionadas, dívida técnica e pouca segurança e resiliência. A resiliência de TI, na verdade, representa quase 15% do valor total em jogo na nuvem.

Por meio de uma arquitetura mais resiliente, por exemplo, a nuvem pode reduzir o tempo de inatividade em quase 60% para aplicativos migrados. Quando uma empresa de pagamentos, por exemplo, migrou seus data centers para a nuvem, a disponibilidade quase dobrou, enquanto o tempo de transação caiu de 12 segundos para cinco.

Os recursos de automação disponíveis nos CSPs também podem permitir que as empresas implementem melhor a “segurança como código”. Essa abordagem renderiza políticas e padrões de segurança cibernética de forma programática para que possam ser referenciados automaticamente nos scripts de configuração usados para provisionar sistemas em nuvem.

Foco na migração de serviços completos. As empresas tendem a concentrar seus esforços na nuvem na transição de aplicativos, geralmente com grande urgência. Isso é teatro, não estratégia. O resultado geralmente é um conjunto desarticulado de aplicativos na nuvem que não melhora o desempenho.

Veja o processo de compra de um cliente: se o aplicativo de autenticação do usuário estiver na nuvem, mas o processamento de pagamentos ainda usar sistemas legados, os benefícios da nuvem evaporarão. A resposta é migrar um serviço ou recurso completo, como a originação de hipotecas, do início ao fim. Isso permite que a empresa construa a massa crítica de aplicativos de suporte mútuo para gerar o valor total. Um banco, por exemplo, está atualizando seus pagamentos de varejo para tempo real, então está reconstruindo tudo neste domínio, incluindo seus sistemas de engajamento, integração e camadas de ecossistema, processamento de transações, bancos de dados de clientes, análise de fraude, conformidade regulatória e serviço.

redação

A nuvem pode ser bem usada ou pode ser mal usada. Ambos estão acontecendo hoje. Entender o que é necessário para criar valor em vez de simplesmente migrar para a nuvem é a maneira de garantir que grandes investimentos gerem grandes retornos.

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.