IA generativa para empresas: usando dados próprios para potencializar negócios

Quem estava atuante no setor de tecnologia já sabia que esse ponto de inflexão chegaria e coube à IA generativa tomar as rédeas desse protagonismo

Author Photo
3:06 pm - 04 de agosto de 2023

Foi como num piscar de olhos e, em menos de um ano, saímos de uma discussão do uso de inteligência artificial como uma tecnologia no suporte dos negócios para colocá-la completamente debaixo dos holofotes. A pauta agora é a incorporação da IA como pilar estratégico de companhias de todos os setores. Em resumo, não importa quem você seja no mercado, a IA precisa fazer parte das ações primordiais da empresa. Naturalmente, quem estava atuante no setor de tecnologia já sabia que esse ponto de inflexão chegaria e coube à IA generativa tomar as rédeas desse protagonismo.

E aqui, acredito que ainda vivemos pontos paradoxais, já que, apesar de todo o frisson em cima da tecnologia, existem realidades distintas que precisam ser discutidas. De um lado, uma nova pesquisa  do Institute for Business Value da IBM aponta que três em cada quatro (75%) CEOs entrevistados nos Estados Unidos acreditam que uma organização com a IA generativa terá vantagens competitivas e 43% deles disseram ainda que suas empresas já estão usando a tecnologia para tomar decisões estratégicas.

Por outro lado, há menos de um ano, um levantamento do Gartner revelou que, em média, apenas 54% dos projetos de IA passam de uma fase de piloto para produção. Segundo a pesquisa, o escalonamento da IA ​​continua a ser um desafio significativo e “as organizações ainda lutam para conectar os algoritmos que estão construindo a uma proposta de valor de negócios, o que torna difícil para TI e liderança de negócios justificar o investimento necessário para operacionalizar modelos”. E aqui vai a chave para a mudança desse jogo: as companhias precisam de parceiros de transformação com experiência, foco em resultados, disciplina de execução de programas estratégicos e os recursos certos para ajudá-las nesse caminho de uso da IA com valor.

E neste cenário, algumas áreas são relevantes para a maioria das empresas e estão prontas para ganhos rápidos em produtividade com a IA generativa baseada em modelos fundacionais, usando seus próprios dados. Vamos a elas:

Talento

Os departamentos de RH estão adotando a IA generativa para gerenciar suas cargas de trabalho com mais eficiência. Ao treinar seus modelos com dados específicos da empresa, os profissionais de RH podem usar a IA para ajudar em tarefas como criar anúncios de emprego, resumir grupos de currículos recebidos e ajudar os profissionais a entenderem melhor os documentos corporativos de política interna.

Atendimento ao consumidor

As organizações podem combinar dados de clientes e IA generativa para criar experiências personalizadas em escala por meio de chatbots e assistentes digitais. A IA tem sido bem-sucedida em lidar com chamadas de call center, para melhorar o serviço e permitir que agentes humanos se concentrem em tarefas mais complexas.

Modernização de aplicativos

Os engenheiros podem usar a IA para gerar e desenvolver códigos iniciais e playbooks. Na verdade, no âmbito da modernização de aplicativos e operações corporativas de TI, isso pode ser vinculado a um aumento na produtividade.

Modelos próprios e código aberto

As empresas estão explorando opções para implementar IA – elas podem criar seus próprios modelos desde o início ou usar uma combinação de modelos proprietários e de código aberto. Plataformas prontas, ferramentas de ponta a ponta e conhecimento técnico podem ajudá-las a começar, mas sem esquecer alguns fatores importantes:

  • Construir uma IA confiável é fundamental – À medida que as organizações trilham um novo território de IA, elas precisam ter certeza de que a tecnologia utilizada para decisões e resultados de missão crítica é construída para ser confiável, ética e segura. Ela deve ser projetada para ser explicável, justa, robusta e transparente, além de priorizar e proteger a privacidade e os direitos de dados dos consumidores para auxiliar na geração de confiança.

 

  • As soluções devem ser adaptadas às necessidades exclusivas das empresasA chave para a diferenciação dos negócios em IA — seja baseada em aprendizado de máquinaou modelos fundacionais — é personalizar e adaptar a tecnologia às necessidades e prioridades específicas de seus clientes. A vantagem dos modelos fundacionais está enraizada em sua capacidade de se ajustar aos dados exclusivos de uma empresa e ao conhecimento de domínio com especificidade que antes era muito difícil e altamente trabalhosa.

Por fim, ressalto novamente que na busca pela implementação da IA, as empresas precisam se aliar a um parceiro de transformação que ofereça uma abordagem contínua, eficiente e controlada para implementação da tecnologia em uma variedade de ambientes – quer as empresas estejam usando modelos de código aberto, criando seus próprios ou implementando IA on premises ou na nuvem.

 

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.