Zuckerberg, Musk e como mitigar más decisões executivas

Quando os líderes corporativos tomam decisões erradas, é hora de recorrer às métricas dos funcionários para tentar amenizar os danos

Author Photo
9:30 am - 19 de julho de 2022
Decisões executivas

Os altos executivos às vezes tomam decisões estúpidas. O objetivo de qualquer grupo de suporte é ajudar a evitar essas decisões ou apontar rapidamente os impactos adversos das decisões para que possam ser revertidos antes de causar danos terminais a uma empresa. Você não pode fazer nada sem métricas sólidas – e muitas vezes em tempo real – porque raramente isso é trazido antes que uma decisão ruim seja tomada.

Após o fato, você deve criar e apresentar um argumento convincente para limitar o dano.

Minha abordagem ruim para um problema

Anos atrás, quando trabalhei para a IBM, tive a chance de me encontrar com o chefe da minha divisão e falar com franqueza. A regra era que eu não poderia ser responsabilizado por nada que eu dissesse. (Espero que essa política tenha sido revisada depois da minha reunião, porque as primeiras palavras que saíram da minha boca foram: “Você é um completo idiota?”) Eu tinha acabado de ingressar na divisão de Auditoria Interna, mas antes disso eu estava administrando a compensação de vendas – e eu tinha um diploma em uma área relacionada. Então eu sabia como as comissões funcionavam e sabia que o chefe da divisão havia acabado de matar a divisão.
O que ele fez? Ele pegou o programa de compensação de vendas e o inverteu. Em vez da configuração de baixo salário fixo e alta comissão que fazia muitos representantes de vendas ganharem sete dígitos, ele queria um modelo de alto salário/baixa comissão. A mudança levou todos os principais vendedores a desistirem. As receitas caíram em dois terços colossais, colocando a divisão no vermelho e custando-lhe o emprego.

A questão: Executivos que não entendem motivação e produtividade

Espanta-me quantos altos executivos não entendem as ferramentas que são usadas para motivar e atrair funcionários. O CEO da Meta, Mark Zuckerberg, anunciou recentemente que estava insatisfeito com o desempenho dos funcionários, então ele mudaria as métricas de desempenho no meio do ano e expulsaria os de baixo desempenho. Ele poderia ter dito efetivamente a todos os funcionários do Facebook para encontrar empregos em outras empresas. Zuckerberg não está sozinho em fazer coisas estúpidas. Os comentários recentes de Elon Musk sobre os funcionários do Twitter levaram a demissões nessa empresa, e seus comentários sobre trabalhar em casa na Tesla estão, sem dúvida, fazendo a mesma coisa lá.

Lembrete: Isso está ocorrendo no que continua sendo um mercado de trabalho muito apertado.

Parte do trabalho de qualquer grupo de funcionários (a TI é uma organização de funcionários) é ajudar a impedir que altos executivos como Zuckerberg e Musk tomem decisões estúpidas que possam prejudicar a empresa. É aí que entram as métricas de funcionários; a capacidade de pesquisar e obter informações sobre os funcionários é fundamental para potencialmente reverter uma decisão ruim antes que o resultado seja irrecuperável. É verdade que nem Musk nem Zuckerberg parecem capazes de admitir erros, muito menos usar métricas para evitá-los, e ambos são conhecidos por serem vingativos. (Isso é algo que Sheryl Sandberg parece estar aprendendo no momento.) Portanto, a apresentação de métricas por si só pode ser problemática e motivo suficiente para evitar trabalhar para qualquer um desses homens. A resposta a um memorando interno de funcionários da SpaceX provavelmente fez com que pessoas importantes também pensassem em deixar essa empresa relativamente bem-sucedida.

Em todo o setor de tecnologia, há uma grande escassez de funcionários no momento, portanto, levar os funcionários a sair parece mal aconselhado. Com as métricas corretas de funcionários – observando coisas como aumento de pesquisas no LinkedIn ou Glassdoor, almoços mais longos ou folgas durante o dia ou recrutamento sindical – um líder corporativo pode recalibrar as mensagens e determinar se essas mensagens estão mitigando o problema. (As métricas também podem informar que talvez você deva considerar uma empresa que apoie mais seus funcionários e não sofra com executivos fora dos trilhos.)

Lições aprendidas?

Brincar com remuneração e benefícios é algo que os executivos parecem fazer com muita frequência, já que a maioria não entende como essas coisas se relacionam com a produtividade. Musk e Zuckerberg dificilmente estão sozinhos em maltratar os trabalhadores, mas se os funcionários forem monitorados adequadamente, pelo menos você poderia descobrir o quão ruim é o problema antes que uma empresa se torne inviável. E você pode usar essas informações para potencialmente mitigar ou reverter aquilo que os que estão no topo da cadeia alimentar estão fazendo.

No final, todos nós trabalhamos em um negócio de números. Deveria ser inaceitável não utilizar dados para garantir o cuidado, alimentação e principalmente a fidelização dos colaboradores fundamentais para o sucesso. Quando os executivos seniores se comportam mal, cabe àqueles que entendem os problemas reais e podem obter métricas para convencê-los a reverter uma decisão ruim.

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.