Novos recursos da Tableau no Slack democratizam dados

Tableau está contando com o Slack para tornar suas ferramentas de visualização de dados mais acessíveis, adicionando preparação e governança

Author Photo
1:45 pm - 10 de novembro de 2021

Apenas quatro meses após a Salesforce.com ter fechado a aquisição do Slack, outra de suas subsidiárias, a plataforma de visualização de dados Tableau Software, está se reorganizando para tornar o Slack sua nova interface de usuário.

Nos últimos anos, a Tableau tem criado uma interface de conversação que chama de Ask Data, que permite aos usuários fazer uma busca detalhada em grandes conjuntos de dados usando linguagem natural. Agora, ela permite que os usuários façam perguntas sobre seus dados – e compartilhem as respostas – por meio do Slack.

Na Tableau Conference deste ano, que ocorre apenas on-line, nesta semana, a empresa está mostrando esses e outros novos recursos em que busca democratizar ainda mais o uso de dados.

Democratizar, mas governar

A integração do Slack nem estava no roteiro da Tableau no ano passado, e por um bom motivo: os detalhes do plano da Salesforce para comprar o Slack vazaram apenas no final de novembro de 2020. No entanto, desde que o negócio foi fechado, em julho de 2021, a Salesforce vem integrando o Slack com tudo.

Agora é a vez da Tableau fornecer ao Slack três novos recursos:

  • Ask Data in Slack, permitindo que os usuários façam solicitações de dados ou visualizações e obtenham respostas que podem compartilhar com outros usuários do Slack diretamente na janela de chat;
  • Explain Data in Slack, uma ferramenta que oferece explicações em linguagem natural no Slack sobre por que outliers em visualizações de dados contrariam a tendência;
  • Einstein Discovery in Slack, com base na plataforma de inteligência artificial da Salesforce para oferecer previsões e recomendações para as próximas etapas com base em dados de negócios.

Em outra área corporativa, a Tableau está implantando outras ferramentas para democratizar ainda mais os dados, incluindo a automação de algumas das tarefas mais complicadas de preparação e governança de dados.

“Precisamos transformar o que normalmente é um trabalho para poucos em uma habilidade para todos”, disse Mark Nelson, novo Presidente e CEO da Tableau, aos repórteres antes da conferência. Nelson assumiu o cargo principal em março de 2021, após três anos como vice-presidente executivo de Desenvolvimento de Produtos. (Seu antecessor, Adam Selipsky, agora é CEO da Amazon Web Services.)

No lado da governança, a Tableau está adicionando segurança centralizada em nível de linha para que os administradores possam controlar quem pode acessar quais dados e conexões virtuais, um novo recurso para permitir a governança centralizada das conexões de dados da Tableau de uma organização, de acordo com François Ajenstat, diretor de Produtos.

“As conexões virtuais e a segurança centralizada em nível de linha serão a base para a segurança, governança e confiança de nossa plataforma, mas também estamos adicionando uma melhor integração com alguns dos fornecedores de catálogo corporativo do mercado, fornecedores como Collibra, Alation e Informatica, onde todos os metadados corporativos podem fluir facilmente para a Tableau, e qualquer enriquecimento pode fluir de volta para esses catálogos”, disse ele.

Aproveitar a comunidade

Apesar dos esforços da Tableau para simplificar e acelerar a preparação de dados com ferramentas visuais e suporte de IA, esse ainda é um ponto problemático para muitas empresas. “Os clientes nos dizem que 80% do seu tempo é gasto preparando dados em vez de analisá-los”, disse Ajenstat. “Queremos inverter essa proporção”.

Uma maneira de fazer isso é permitir que os usuários adotem ferramentas de preparação de dados desenvolvidas pela comunidade por meio de extensões de preparação e compartilhem seus fluxos de preparação com a comunidade mais ampla no Tableau Public. “Isso permitirá que a comunidade da Tableau não se preocupe apenas com visualizações, mas também com fluxos e preparação de dados, para que possam compartilhar as melhores práticas e aproveitar o poder dessa comunidade para aprender e colaborar uns com os outros”, disse Ajenstat.

A ambição da Tableau é maior do que apenas permitir que todos em uma organização analisem e visualizem dados: ele também deseja colocar data analytics em todos os aplicativos, tornando mais fácil para os desenvolvedores se conectarem à Tableau e disponibilizando essas conexões aos clientes por meio do Tableau Exchange, disse Kate Wright, Vice-Presidente Sênior de Desenvolvimento de Produtos da Tableau.

“O Tableau Exchange é uma evolução de nosso hub existente de produtos integrados, soluções e ofertas de serviços”, disse ela. “Os clientes terão um balcão único para encontrar ofertas que podem ajudá-los a iniciar suas análises, como nossos aceleradores, nossos conectores e nossos novos conjuntos de dados”.

Uma janela para colaboração

Outras ferramentas, a serem lançadas em um teste beta público, permitirão aos desenvolvedores permitir que seus usuários criem painéis da Tableau diretamente em seus aplicativos, disse ela.

A Tableau não é a única que procura maneiras de facilitar a incorporação de dados ativos em documentos e ferramentas de colaboração.

A Microsoft mostrou sua própria visão de como isso poderia funcionar em sua conferência Ignite 2021 na semana passada, na forma de um novo aplicativo, o Microsoft Loop. Isso incluirá componentes que vinculam o concorrente da Microsoft ao Salesforce, Dynamics 365 e ao Teams, a resposta da Microsoft ao Slack.

Mas há uma janela para a colaboração entre os dois também. Questionado sobre o potencial de trazer os recursos da Tableau para as equipes, Wright disse cuidadosamente: “A flexibilidade é um dos principais diferenciais da Tableau e queremos atender nossos clientes onde eles estão. Não queremos necessariamente forçá-los a usar qualquer suíte ou ferramenta específica e, portanto, certamente estamos considerando como a Tableau poderia se integrar a outros aplicativos de colaboração”.

Dez milhões de alunos de dados

O CEO da Tableau, Nelson, falou dos planos da companhia não apenas para tornar mais fácil para os funcionários acessarem e analisarem dados corporativos, mas também para lidar com a escassez de habilidades de dados de uma direção diferente: treinamento.

A empresa se comprometeu a ajudar a treinar 10 milhões de alunos de dados nos próximos cinco anos. Os programas atuais da Tableau treinarão meio milhão de pessoas nos próximos cinco anos, disse ele: “Isso significa aprimorar nossos programas, parcerias e e-learning atuais. Estaremos adicionando novos programas de treinamento e expandindo os existentes para ajudar pessoas de todas as origens e países a desenvolver habilidades essenciais em dados”.

Para empresas que não podem esperar que o programa se concretize, a Tableau oferecerá um atalho para preencher a escassez de habilidades de dados: um botão “contrate-me”, para que os usuários da Tableau Public, a plataforma gratuita de visualização de dados, possam adicionar aos seus perfis para potenciais empregadores poderem entrar em contato.

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.