Como os CIOs podem ajudar a reduzir a ansiedade da cadeia de suprimentos

Clientes e empresas estão preocupados com as interrupções da cadeia de suprimentos e o impacto que as cadeias de suprimentos têm no meio ambiente

Author Photo
9:30 am - 06 de outubro de 2022
supply chain supply chain

Muitos veem as cadeias de suprimentos de hoje como verdadeiras maravilhas da existência moderna – aperte um botão e um objeto desejado é entregue à sua porta. Outros veem as modernas cadeias de suprimentos perturbando as economias locais e prejudicando o meio ambiente.

Massivamente complexas, interdependentes e sujeitas a interrupções, as cadeias de suprimentos eram, em sua maior parte, há apenas alguns anos, a alçada de executivos de nível médio operando fora da vista de redações e salas de reuniões. A pandemia, tensões geopolíticas crescentes, ataques cibernéticos e eventos climáticos severos tornaram a cadeia de suprimentos uma questão universal sujeita ao escrutínio da diretoria e até da Casa Branca.

Interrupções e irregularidades na cadeia de suprimentos que levam a escassez, atrasos e aumentos crescentes de preços tornaram-se realidades definidoras dos negócios modernos hoje. O mesmo acontece com as consequências de um conjunto de conhecimento em constante expansão que vê as empresas modernas cheias de caixas pretas de áreas de especialidade “sabemos-que-é-importante-mas-não-compreendemos-realmente”. A cadeia de suprimentos costumava ser uma dessas caixas pretas. Mas os CEOs e os conselhos de administração agora exigem que a caixa preta da cadeia de suprimentos seja aberta e totalmente explicada. Este não é um exercício trivial – e é um que os CIOs precisam realizar estrategicamente.

O CIO como campeão de transparência e entrega de dados

Antes da pandemia, a maioria das pessoas – até mesmo empresas – considerava as cadeias de suprimentos garantidas. Você queria algo, ou precisava de uma peça para produzir um produto, você simplesmente fazia a encomenda e ele seria entregue – de forma rápida, acessível e com precisão previsível. Este não é mais o caso. As realidades da cadeia de suprimentos estão mudando a forma como as organizações operam e como elas projetam e entregam novos produtos e serviços.

Mas o primeiro passo para tornar as cadeias de suprimentos mais resilientes é a transparência. Para a TI, isso significa mapear o fluxo total de ponta a ponta de materiais, tarefas e custos, desde o design do produto/serviço até a entrega final ao cliente. Este exercício mostrará áreas de alto risco da cadeia de suprimentos, como a dependência excessiva da indústria automobilística em algumas fábricas de semicondutores em Taiwan ou a dependência dos setores farmacêuticos globais de suprimentos chineses para ingredientes básicos de ciências da vida.

Uma organização de ciências da vida havia garantido as matérias-primas necessárias para fabricar seu produto final, mas não levou em conta os problemas de fornecimento com a embalagem desse medicamento. A falta de tinta usada para imprimir as datas de validade na embalagem impossibilitava o envio do produto. O fornecimento adequado de tinta para rotulagem, e não de matéria-prima para produção, tornou-se o gargalo da cadeia de suprimentos. As empresas devem prestar atenção a todos os aspectos de sua cadeia de suprimentos.

É claro, a história nos diz que as equipes de gerenciamento têm a tendência de corrigir em excesso, em resposta a muitas crises. Sim, aprendemos que as cadeias de suprimentos existentes não são tão resilientes quanto pensávamos. Mas antes de rearquitetar toda a cadeia de suprimentos, os CIOs e seus colegas C-suite precisam coletar estimativas sobre quanto mais custarão as cadeias de suprimentos mais resilientes.

Acadêmicos da DHL Initiative on Globalization, do Center for the Future of Management, da NYU Stern, nos lembram que as atitudes em relação às estratégias da cadeia de suprimentos não estão gravadas em pedra: “Em uma pesquisa de abril de 2020, 83% dos executivos disseram que suas empresas planejavam fazer nearshoring em suas cadeias de suprimentos. Quando a mesma pesquisa foi repetida em março-abril de 2021, apenas 23% ainda disseram que estavam planejando nearshoring”.

Historicamente, o CIO e a organização de TI entregam e gerenciam os sistemas transacionais e de informação que orientam a cadeia de suprimentos. Na maioria das organizações, a TI e o CIO não assumiram a responsabilidade de agregar e dar sentido aos sistemas de cadeia de suprimentos de dados de ponta a ponta. Eles devem ajudar a equipe de análise de dados na implementação de painéis digitais para visibilidade de ponta a ponta da cadeia de suprimentos.

A análise da cadeia de suprimentos é a principal maneira pela qual os CIOs podem ajudar a resolver esse problema central de negócios – e ajudar a garantir que a resposta estratégica por parte da empresa aos problemas de suprimento seja medida, realista e impactante.

Quanto às preocupações dos clientes sobre o impacto das cadeias de suprimentos no meio ambiente, a analytics também pode desempenhar um papel – assim como as mensagens.

Uma pesquisa do Sustainable Supply Chain Lab, do MIT, mostra que, com as mensagens adequadas, “70% dos consumidores pesquisados estavam dispostos a atrasar as entregas em casa em aproximadamente cinco dias se recebessem um incentivo ambiental para fazê-lo no momento da compra”. Além disso, as palavras usadas para descrever o ecobenefício também eram importantes: “Cerca de 90% dos entrevistados aceitaram entregas mais demoradas quando foram informados sobre o número de árvores salvas, em comparação com 40% daqueles que foram informados sobre emissões [de gases] reduzidas”.

Assim, além de ajudar a estabelecer métricas relacionadas a ESG em torno do impacto das cadeias de suprimentos de suas empresas, os CIOs também podem ajudar a estabelecer canais para comunicação aberta e honesta com os clientes sobre as realidades da cadeia de suprimentos por meio de iniciativas de engajamento do cliente destinadas a colocar os dados para trabalhar para aliviar suas preocupações.

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.