Algumas coisas a considerar após o evento de lançamento do iPhone 14 da Apple

Embora as considerações empresariais do grande show da Apple fossem um pouco fracas, o que a Apple anunciou poderia ser bom para qualquer empresa

Author Photo
10:05 am - 09 de setembro de 2022
iphone 14 iphone 14

A Apple confirmou nesta quarta-feira (7) a maior parte das especulações pré-evento quando apresentou sua linha iPhone 14 (com apenas os modelos Pro equipados com um novo chip A16), uma linha Apple Watch de três modelos e novos AirPods Pro. Nenhuma surpresa: este foi principalmente um evento focado no consumidor com poucas e distantes considerações empresariais.

Mas aqui estão alguns insights que eu peguei.

Conectividade por satélite para o iPhone

Existe uma consequência empresarial para a decisão da Apple de habilitar a conectividade via satélite para o iPhone? Pode haver.

Uma parte da equação aqui é que a Apple está essencialmente dizendo que não acha que a conectividade será realmente universal, e isso significa que a empresa (ou seus parceiros) pode considerar oferecer conectividade a usuários em áreas remotas com oportunidades marítimas e de conectividade possíveis até em ambientes hostis. Para usuários corporativos de navegação, recuperação de emergência ou exploração, isso significa que os iPhones podem ser considerados equipamentos essenciais de emergência.

Lendo nas entrelinhas, em dois anos pode haver mais significado para o negócio. Isso porque a Apple diz que oferecerá SOS de Emergência via satélite como um recurso gratuito pelos próximos dois anos. O que acontece depois disso? E até que ponto o recurso pode ser estendido? Parece que esse recurso é realmente desenvolvido pela GlobalStar. (Me chame de antiquado, mas a revelação de que a Apple pagará 95% dos gastos de capital aprovados que a GlobalStar fizer em relação ao serviço também despertou meu interesse.)

Mire alto mirando baixo

Uma lição do Business-101 do evento pode ser o que a Apple fez com o Apple Watch, onde reduziu simultaneamente o custo de entrada com um novo – e de baixo custo – Apple Watch SE, enquanto aumentava o ponto de aspiração com o Apple Watch Ultra. O novo SE atende absolutamente às necessidades atendidas pela maioria dos wearables anteriores da Apple. E enquanto aprimora o modelo padrão com recursos (como novos sensores de temperatura) que atraem 50% da humanidade, a empresa também introduziu um novo dispositivo aspiracional; em um toque clássico de conhecimento de marketing, o Apple Watch Ultra de US$ 799 oferece aos usuários um vislumbre de algo que eles, primeiramente, nem sabiam que queriam.

A Apple disse que trabalhou durante anos para criá-lo, uma lição que deveria estar em todo manual de gestão de negócios orientado a produtos ou serviços. Você não deve apenas melhorar o melhor, mas deve considerar onde algo ainda melhor faz a diferença. Porque se você acertar, todos os seus clientes existentes vão querer um de qualquer maneira. Espero que isso aconteça com o Apple Watch Ultra. Já conheço pelo menos uma pessoa que deu um tapa no cartão de crédito para conseguir um desses, embora não suba montanhas com muita frequência. (Nota do editor: me sinto visto.)

Dynamic Island

A Apple substituiu o entalhe nos telefones do modelo Pro por algo que chama de Dynamic Island. Este é um uso inteligente de espaço que, sem dúvida, foi simplesmente desperdiçado antes, e a empresa também nos disse que desenvolvedores de terceiros podem criar aplicativos para explorar o novo espaço. (Ele mostrou brevemente um aplicativo de entrega de terceiros fazendo uso disso.)

Eu me pergunto se alguns desenvolvedores de aplicativos de negócios podem encontrar alguma maneira de explorar o Dynamic Island em seus aplicativos para criar conexão com os usuários finais. Posso facilmente imaginar serviços de entrega usando o espaço para sinalizar prazos de entrega, varejistas para postar ofertas ou hotéis e atrações turísticas usando-o para sinalizar proximidade e informações locais. Eu certamente posso imaginar – ou pelo menos esperar – que os provedores de transporte público explorem o recurso para mostrar quando o próximo ônibus ou trem deve chegar a um local.

A razão pela qual acho que vale a pena explorar isso é que esses tipos de microexperiências fundamentais podem muito bem ser o tipo de informação que os usuários desfrutarão no futuro ao usar dispositivos de realidade mista. Eles são de baixo impacto, ricos em informações, ao mesmo tempo em que são relevantes e efêmeros. Certamente vale a pena explorar a API.

AR estava em toda parte

Essa coisa de colocar as coisas à vista de todos? Cada vez que um executivo da Apple ficava na frente de um slide virtual, eles mostravam como AR e VR podem aumentar a conversa existente. Toda essa exposição significa que, no momento em que eles entregam o dispositivo, todos esperam que eles apresentem o que ele faz que parecerá imperdível. E esses minúsculos trackpads no AirPods Pro quase certamente terão significado, pois a Apple continua a desenvolver um UI mais vestível.

Combine isso com os avanços contínuos da Apple em termos de IA, CMOS, geração de imagens e machine learning em imagens e talvez você possa discernir a evolução contínua do tipo de inteligência necessária para criar máquinas inteligentes. Como carros.

Amor e fitness através das paredes

A Apple disponibilizará seu serviço Fitness+ para todos os usuários do iPhone em 21 países, mesmo que não tenham um Apple Watch. Isso é bom, mas o movimento da empresa para estender o alcance de seus serviços não termina aí. Um dos benefícios do Fitness+ é que você pode assistir ao vídeo do treino na Apple TV enquanto usa os dados coletados pelo Apple Watch.

No futuro, se você não tiver Apple TV, poderá transmitir exercícios para dispositivos de terceiros e, se também tiver um Apple Watch, obterá as métricas que ele fornece na tela. Essa pequena melhoria é significativa, pois implica até que ponto a Apple pretende que seus serviços se tornem agnósticos de plataforma, embora com um pouco de Apple em sua essência.

A Apple está indo além de seu chamado jardim murado.

O escorregador verde

Eu vou simplificar isso. Em toda a Califórnia há um alerta de calor excessivo. No Paquistão, vastas áreas do país estão inundadas. Está chovendo no Reino Unido e há proibições de uso de mangueiras, após meses sem chuva. Em toda a Europa, os campos e as florestas estão queimando. Pode ser tarde demais para agir, mas qualquer pessoa racional deve exigir mais do tipo de honestidade corporativa que a Apple promete cada vez que exibe um slide detalhando as consequências ambientais de cada produto que fabrica. Mesmo assim, ainda parece ter algum caminho a percorrer.

A direção da viagem

Outro pequeno recurso que pode fazer barulho é a extensão do UWB da Apple para o reino dos AirPods. Com o Precision Finding, os usuários com um iPhone habilitado para U1 podem localizar seu estojo de carregamento com instruções guiadas. Isso não é novidade em termos do que o sistema Find My da Apple (que impulsiona esse recurso) promete fazer, mas sugere até que ponto a empresa navega em torno de todos os abusos assustadores de perseguição e vigilância dessa tecnologia.

eSIMs para os EUA (por enquanto)

A mudança para o eSIM, que é apenas nos EUA por enquanto, tornará muito mais fácil para os usuários corporativos implantarem linhas da empresa entre os funcionários. E à medida que o eSIM se torna mais amplamente adotado, como geralmente acontece quando a Apple faz um movimento desse tipo, será um pouco mais desafiador criar e explorar IDs falsos para fins nefastos.

Mais uma coisa a ser lembrada: Se você optar por provisionar linhas eSIM em sua equipe, talvez seja necessário verificar novamente o processo necessário para mover esse número de um iPhone para outro dispositivo, principalmente em outra plataforma. Dada a importância de um fornecimento consistente de números para os usuários corporativos, essa mudança é algo sobre o qual os compradores corporativos precisam pensar. Para viajantes casuais, pode ser difícil pular os preços inflacionados das operadoras simplesmente inserindo um SIM.

Personalize onde puder

Eu sei que estou esticando, mas fiquei impressionado que a Apple conseguiu introduzir um pequeno novo ajuste no AirPods Pro que poderia ser usado como uma visão para empresas focadas no consumo. Se você já usou um produto da Apple, provavelmente já se deparou com o Memoji, que permite criar um pequeno avatar de si mesmo. Isso sempre foi bom ao usar o FaceTime, mas a Apple agora parece estar trazendo esse pequeno prazer digital para o mundo real, já que agora você pode ter esse ícone personalizado gravado no estojo de um novo conjunto de AirPods Pro.

Isso pode parecer relativamente pequeno para muitas pessoas, mas para mim é uma boa articulação do poder de construir relacionamentos personalizados com os clientes. É um toque pequeno, mas bom.

Newsletter de tecnologia para você

Os melhores conteúdos do IT Forum na sua caixa de entrada.