Materiais para Download
Descubra a Rede IT Mídia
Conheça os Fóruns

Transparência é chave para elevar a Experiência do Colaborador da Aegro

Até o fim do ano, Aegro pretende ampliar equipe de RH. Startup foi reconhecida no 3º lugar da GPTW TI 2020, na categoria 30 a 99 funcionários

Por  Karina Pizzini, especial para IT Forum

19:18 - 17 de novembro de 2020
Compartilhar

O background de desenvolvedores desde a sua fundação levou a Aegro, startup de software de gestão agrícola, a usar sua expertise em números e dados para a gestão de pessoas. Com práticas que estimulam o feedback dos colaboradores, a empresa tem conseguido elevar o nível de satisfação dos funcionários. Investir na Experiência do Colaborador tem sido um grande diferencial da Aegro, que levou o terceiro lugar na categoria 30 a 99 funcionários do ranking Melhores Empresas Para Trabalhar em TI, realizado pelo Great Place To Work TI (GPTW), e divulgado pela IT Mídia.

Para Pedro Martins Dusso, CEO e um dos fundadores da empresa, a transparência é o elemento chave para as práticas de Recursos Humanos da empresa. Dusso conta, como exemplo, que, em meados de março, essa prática foi testada ao limite, ao se depararem com a Covid-19 e as difíceis escolhas que precisavam ser feitas sob a pressão da pandemia que atingia a economia e os negócios.

“Pouco adianta enfeitar muito o discurso e prometer coisas que não serão cumpridas, quando é necessário enfrentar medidas duras com atitudes, por vezes, duras, para garantir a sobrevivência da empresa”, diz Dusso. Porém, para ele, essa transparência como parte da cultura da Aegro facilitou o processo de adaptação para toda a equipe, que conta hoje com 70 colaboradores, sendo 15 de TI.

Uma via de mão dupla

A transparência para Aegro, no entanto, ocorre em via de mão dupla. Dusso conta que alguns rituais da empresa, como ele mesmo chama, favorecem para um feedback por parte dos colaboradores, que veem um caminho aberto de comunicação com seus gestores em diferentes frentes. Entre eles, um review mensal, de duas a três horas, ocorre de maneira que os funcionários se sentem à vontade para apresentar resultados e também questionar os gestores sobre entradas e saídas de colaboradores, por exemplo, ou qualquer outra dúvida que tenham.

A Aegro também monitora, mensalmente, a partir de um NPS interno, o nível de satisfação dos funcionários, avaliando a Experiência do Colaborador. Com uma nota de 1 a 10, os colaboradores pontuam o nível de satisfação sobre o local de trabalho, indicando se recomendariam a Aegro a um conhecido para trabalhar. Dusso conta que essa avaliação vem melhorando ao longo do tempo.

“A gente olha esse NPS global, a gente olha por departamento e a gente cruza com os comentários de cada um dos colaboradores para saber o que está dando certo e o que está dando errado”, diz o CEO. Os colaboradores também possuem um espaço em que podem fazer críticas e sugestões de forma anônima, auxiliando o processo de melhoria de gestão da empresa. “Assim a gente vai priorizando as nossas iniciativas de RH, baseadas nos feedbacks deles”, complementa.

Experiência do funcionário

Dusso enxerga os colaboradores como clientes da “empresa Aegro”, investindo em uma melhor experiência do “usuário”. Para ele, a soma do valor de transparência e essa visão da empresa enquanto um produto para o colaborador favorece um espaço de experimentação pautada na satisfação da equipe, a partir das métricas do NPS e de pesquisa qualitativa realizada internamente.

“Fazemos também um Q&A [Questions and Answers] por três dias, junto tudo e respondo a todos. ‘Por que fulano foi demitido?’’, ou ‘Por que o vale [refeição] é só R$ 22 e não R$ 27’?… no início eram entre 15 a 20 pessoas participando, hoje em dia é ‘quorum’ lotado, uma hora cheia só para isso, porque eles viram que não tem pergunta ruim. Não poupo nenhuma resposta. E isso imprime o que a gente acredita no dia a dia”, explica.

De forma orgânica, ao longo do tempo, alguns colaboradores foram ultrapassando as barreiras do seu job description, mostrando os benefícios, tanto para a empresa quanto para o profissional, que uma visão mais ampla e multidisciplinar pode oferecer para os negócios.

“Às vezes é muito difícil falar para a pessoa que está apertando um parafuso que ele está construindo um avião, então, se ele tem a possibilidade de navegar em outras áreas e ver o impacto global daquilo que ele faz, ele se sente motivado”, diz Dosso. Por isso, a empresa estimula a autonomia e a curiosidade dos colaboradores, assim como procura essas características em seus novos talentos. “(…) Um pouco de go fast and break things, sem ter muito medo de errar, a gente tem bastante infraestrutura para permitir o erro… temos muito espaço para crescer”.

Segundo Dosso, a Aegro oferece espaço para que os colaboradores explorem seus próprios caminhos para chegar ao objetivo compartilhado. “Eu acho que esse senso de autonomia ligado a propósito é o que mais os motiva”, diz. “A nossa proposta hoje é ser uma alavanca de evolução da agricultura”.

Finalistas GPTW TI – Categoria 30 a 99 funcionários

1º – Adobe

2º –  ClassApp

3º –  Aegro

 

Load more